Horner afirma que intenção da Red Bull é ficar na F1 para resolver problemas. Os próprios e os da categoria

Christian Horner, chefe da Red Bull, disse que o objetivo da equipe é seguir no Mundial de F1 para resolver os problemas do campeonato e os próprios. Na última semana, o dono da empresa de bebidas energéticas fez duras críticas e ameaçou tirar suas equipes do grid

Por mais que Dietrich Mateschitz tenha feito duras críticas à F1 e à Renault e até ameaçado tirar suas equipes do grid, a intenção da Red Bull é seguir na categoria. Foi o que garantiu o chefe do time, Christian Horner.
 
Com o Mundial e a escuderia em crise, é preciso resolver os problemas antes de qualquer outra coisa, segundo Horner. A fala de Mateschitz, no entanto, deve ser entendida como um recado, afinal, o próprio Horner disse que a empresa de bebidas energéticas "não precisa da F1".
Christian Horner (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
“A intenção é ficar aqui e resolver os problemas no esporte e na nossa própria competitividade. Dietrich Mateschitz fez alguns comentários durante o fim de semana, e é exatamente assim que ele se sente. Ele está frustrado e frustrado com o show”, disse Horner.
 
“Ele também é um fã, e como um fã, fez um investimento enorme no esporte nos últimos anos. Ele quer ver a F1 de volta aos dias de glória e ver ela tendo o mesmo apelo que sempre teve. Estamos trabalhando para tentar ajudar a mudar as coisas e, do ponto de vista da equipe, queremos  ser competitivos. No momento, estamos em uma condição complicada, mas vamos virar isso”, assegurou.
 
Em 2015, o melhor resultado do time tetracampeão foi apenas um quarto lugar, com Daniil Kvyat no GP de Mônaco. O time está em quarto lugar no Mundial de Construtores.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube