Irvine descarta culpa por troca de socos com Senna no GP do Japão de 1993: “Ele só queria um motivo”

Eddie Irvine estreou na F1 já se desentendo com Ayrton Senna. No GP do Japão de 1993, o britânico tentou ‘tirar’ volta duas vezes, fazendo o brasileiro, líder, perder tempo. Senna se irritou e, após a corrida, deu um soco em Irvine durante discussão

Eddie Irvine teve uma estreia das mais agitadas na Fórmula 1 – no GP do Japão de 1993, o britânico terminou em sexto e chamou atenção do paddock. Mas o ponto mais marcante viria depois: acusado por Ayrton Senna de não abrir caminho enquanto levava volta, Irvine se viu em uma briga que incluiu gritos e socos. Agora, 26 anos depois, Eddie avalia: Ayrton “só queria um motivo” para arranjar uma briga.
 
Senna e Irvine começaram a se estranhar ainda nos treinos livres, quando o brasileiro reclamou de ser atrapalhado em voltas rápidas. Na corrida, Eddie ‘tirou’ volta de Senna em duas oportunidades, custando tempo de volta ao brasileiro, então líder e futuro vencedor do GP. Ayrton se sentiu prejudicado injustamente e deu um soco em Eddie durante discussão esquentada.
 
“Isso ofuscou minha estreia incrível, porque era a única coisa que as pessoas falavam”, disse Irvine, entrevistado pela ‘BBC’. “Eu fiquei pensando ‘poxa, eu terminei em sexto na minha estreia com uma Jordan, que basicamente não tinha pontuado o ano inteiro’. Eu nunca abaixei a cabeça para outras pessoas, nem nunca vou fazer. Acho que é por isso que essa situação foi tão longe. Eu sempre estou pronto para um desafio, sempre pronto para fazer diferente. Nunca estive conformado. Quando o Senna tentou me colocar no meu lugar me bloqueando [nos treinos livres], eu simplesmente fui lá e o bloqueei de volta na volta seguinte”, recordou.
Eddie Irvine (Foto: Reprodução/Twitter)

“Eu não me importo com quem quer que você seja. Eu estou lá por mim, você está lá por você. Não tente me intimidar porque isso não vai funcionar. Mandei essa mensagem bem clara e ele ficou muito irritado. Depois fiz o que fiz na corrida, que foi a coisa certa. Damon Hill bloqueou o Senna, na verdade. Não fui eu, mas as coisas que aconteceram antes o deixaram tão enfurecido que eu acho que ele só queria uma desculpa [para brigar]. Eu não coloquei o rabinho entre as pernas, então no domingo ele tentou jogar a culpa em mim, sendo que era do Damon”, ponderou.
 
Senna quis que Irvine fosse punido pelos comissários, o que não aconteceu. Na corrida seguinte, o GP da Austrália, o brasileiro reconheceu que “nada justifica bater em alguém”, mas ainda alegando que o rival não agiu corretamente na pista.
 
Apesar do início de carreira conturbado, Irvine se consolidou como um bom piloto da F1. Competindo até 2002, o piloto teve como ponto alto o vice em 1999, sendo derrotado por pouco por Mika Häkkinen.

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube