Kubica diz que Williams “passou dos limites” desistindo de asa dianteira nova

Robert Kubica saiu bastante decepcionado do GP do Japão. O polonês afirmou que a Williams trocou a asa dianteira nova pela antiga sem sequer avisar e esquentou mais uma briga no fim do relacionamento

O final de relação entre Robert Kubica e Williams tem sido dos mais complicados. Após polêmicas na Rússia, as duas partes voltaram a se desentender no Japão, com o polonês, que chegou em 19º, soltando o verbo na entrevista pós-corrida e insinuando que tem sido prejudicado pelo próprio time.
 
Kubica, que não fica na Williams em 2020, havia reclamado em Sóchi que abandonou porque a equipe queria poupar peças. Agora, no Japão, se queixou de ter ficado sem a asa dianteira nova que testou – e aprovou – nos treinos livres, criticando especialmente o fato de não ter sido avisado pela equipe de que usaria a asa antiga na classificação e na corrida.
 
"A sexta-feira foi bem boa pela primeira vez em muito tempo. Nós trocamos a asa dianteira, teoricamente não mudaria muito, no outro carro não teve efeito, mas o meu ficou muito melhor. Só que, por motivos estranhos, a asa foi tirada do meu carro na manhã antes da classificação", se queixou em entrevista aos veículos poloneses.
 
O veterano não poupou palavras e deixou no ar que o dia foi importante para ver como tem sido deixado de lado. 
Robert Kubica bateu forte na entrada da curva que dá acesso à reta dos boxes em Suzuka (Foto: F1/Twitter)

"Acho que o sábado deu bastante tempo para pensar nas escolhas, o tufão passou, mas a decisão a respeito da asa não teve a ver com a pista aqui, mas mais com outras razões e escolhas. Esta manhã me fez pensar em muita coisa. Eu já sabia de algumas delas, mas foi uma manhã em que limites foram provavelmente passados", seguiu. 

 
Kubica aproveitou para reavivar a polêmica do abandono forçado na Rússia que deu confusão até com patrocinadores. Para o polonês, era a chance de se recuperar com a asa nova.
 
"Estava esperando que, depois da decepção da Rússia, tentaríamos o nosso melhor, que foi o que aconteceu na sexta-feira. Estava com sensações ótimas, talvez acima da realidade. Era outro cenário, mas a sexta tinha me dado muita confiança no carro, nós concordamos com algumas coisas e aí, no domingo de manhã, as coisas mudaram por algum motivo", comentou.
Robert Kubica não escondeu a ira com a Williams (Foto: Williams)
O piloto, que bateu logo nos primeiros minutos da classificação, já havia falado no rádio sobre a asa trocada e ao menos poupou o time que estava no Japão.
 
"Não acho que tenha sido uma decisão de quem estava aqui. Não quero entrar em detalhes, mas, depois da decepção geral na Rússia, eu finalmente estava sentindo que poderia explorar tudo do carro, mas, por alguma razão…", completou. 
 
Em comunicado ao 'Motorsport.com', a Williams se defendeu, também não entrou em detalhes, mas falou novamente em poupar peças e ainda citou o acidente de Kubica no Q1.
 
"Como sempre, discutimos entre nós a estratégia mais eficiente para o final de semana, mas ajustes foram feitos onde era necessário. Nossa asa dianteira era para teste no Japão, estávamos pensando em usá-la em corrida mais para frente, apenas. Com o potencial impacto do tufão e a chance do cancelamento de tudo no sábado, achamos melhor não arriscar a asa nova aqui e aí sofrer danos para o México. Considerando o que aconteceu na classificação, isso se provou uma decisão correta".
Paddockast #37
GRANDES RIVALIDADES INTERNAS 

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube