Kubica se vê como “um estreante” por evolução dos carros da F1: “Completamente diferentes”

Robert Kubica vai reaprender a pilotagem dos carros de Fórmula 1 do zero. O polonês se vê “mais como um estreante” por conta do pouco conhecimento sobre os carros atuais e por ainda não ter um “jeito natural de pilotar”

Robert Kubica tem cinco temporadas e uma vitória na Fórmula 1 no currículo, mas a temporada 2019 vai ser como uma de estreia. O polonês, que retorna à categoria após saída forçada no começo de 2011, acredita que o desafio imposto pela evolução constante dos carros representa a necessidade de recomeçar o aprendizado do zero.
 
“Na Austrália eu vou estar mais como um estreante do que como alguém que já fez cinco temporadas”, disse Kubica, entrevistado pela revista britânica ‘Autosport’. “O motivo é que a F1 mudou muito. A F1 sempre esteve mudando e, comparando os carros do começo dos anos 2000 para os do fim [da década], eles são completamente diferentes. Preciso trabalhar duro e estou ansioso pelo desafio, mas também estou ansioso por encontrar o jeito natural de pilotar que eu tinha no passado, como quando você pilota com frequência, a cada 10 dias”, continuou.
 
Kubica precisou deixar a F1 no começo de 2011 por conta de um acidente de rali, que resultou em lesões graves no braço direito. O processo de recuperação tomou tempo: Robert só voltaria a sentar em um carro da categoria em 2017, em testes com a Renault. Sem espaço na equipe francesa, a solução foi se aproximar da Williams, onde é titular para 2019.
Robert Kubica, novamente um estreante na F1 (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

Correndo ao lado de George Russell, Kubica espera tirar proveito da sequência de 21 corridas ao longo do ano para voltar a encarar a pilotagem na F1 como algo normal.
 
“Tudo deve acontecer de forma tão natural quanto possível. Você não precisa procurar isso, é tudo natural. O que me ajuda é que eu vivi esse esporte tão intensamente, então eu experimentei o que significa ser um piloto de F1 e o que significa correr contra os pilotos de ponta. Espero que essa experiência me ajuda a alcançar os níveis que eu quero, esse é o objetivo. Tenho meus pés no chão e eu sei que o tenho pela frente é um grande desafio do ponto de vista esportivo. Estar entre os 20 pilotos da F1 é uma grande honra, assim como é um trabalho duro”, encerrou.
 
A temporada 2019 da F1 começa em 17 de março. Trata-se da data do GP da Austrália, realizado no Albert Park.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube