Kvyat “respeita” decisão da Red Bull de chamar Albon e foca na Toro Rosso

Daniil Kvyat não quer discutir quem deveria levar a vaga deixada em aberto por Pierre Gasly na Red Bull – se ele próprio ou Alexander Albon, o escolhido. O russo, entretanto, reconhece que a passagem anterior por Milton Keynes “foi um fator”

Uma vaga se abriu de forma inesperada na Red Bull, com Pierre Gasly sendo rebaixado para a Toro Rosso. Era a chance de ouro para Daniil Kvyat ou Alexander Albon, os primeiros na linha de sucessão. Albon foi selecionado, com Kvyat precisando aguentar mais um tempo na equipe secundária. Por mais que a oportunidade tenha escapado, o russo não fica lamentando: é hora de respeitar a decisão da equipe principal e seguir trabalhando.
 
“Eu fiquei sabendo de tudo em um só dia. Nós tivemos uma conversa por telefone com o Marko”, recordou Kvyat. “É necessário respeitar essas decisões e seguir em frente. Acho que eles só querem ver como o Albon vai se comportar ao volante de um carro capaz de vencer, e com um companheiro como o Verstappen. Eu já estive na Red Bull, acho que isso foi um dos fatores nessa decisão”, comentou.
 
Albon é um piloto elogiado, mas há quem defenda que a vaga de Gasly deveria ser ocupada por Kvyat. O russo somou mais pontos e conseguiu até um pódio no caótico GP da Alemanha. Daniil, entretanto, não quer entrar em discussões sobre merecimento: o que importa mesmo é seguir trabalhando e trazendo resultados.
Daniil Kvyat não quer ficar pensando na Red Bull agora (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)

“Você pode olhar essa situação de vários pontos de vista diferentes, mas não vou fazer isso ou qualquer outra análise aprofundada. Está tudo claro: você precisa fazer um bom trabalho e tudo vai ficar bem. Você precisa olhar seus resultados, seu próprio progresso. Se tudo correr bem, aí no futuro tudo vai ficar bem. Não vou ficar pensando em coisas que não são diretamente ligadas aos meus resultados na pista. Só vou fazer meu trabalho, e acho que somos bons nisso. A Toro Rosso teve um pódio na Alemanha, o primeiro em 11 anos graças ao trabalho em equipe e a mim”, seguiu.

 
Kvyat ainda não tem futuro definido. Sem contrato para 2020, o russo espera uma decisão ao longo do próximo mês.
 
“Tudo que vai acontecer depois de 2019 continua incerto. Acho que ainda precisamos esperar duas ou três semanas, e aí a situação vai ser tornar mais clara”, encerrou.
 
O GP da Bélgica, já com Albon na Red Bull e Gasly ao lado de Kvyat na Too Rosso, acontece em 1º de setembro, neste fim de semana.

Paddockast #30
SHOW DO MILHÃO!

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube