Magnussen nega pedido de desculpas a Ericsson e insiste que toque no GP da Austrália foi “incidente de corrida”

Kevin Magnussen se envolveu em um incidente com Marcus Ericsson na primeira volta do GP da Austrália, na curva 3, tocando no carro do sueco. O piloto da Sauber considerou o adversário culpado pela batida, mas Magnussen se defendeu e entende que tudo não passou de um mero incidente de corrida

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

O toque de Kevin Magnussen no carro da Sauber de Marcus Ericsson na primeira volta do GP da Austrália, ainda rende. Nesta quinta-feira (6), em Xangai, os dois pilotos falaram sobre o incidente ocorrido na curva 3 do circuito Albert Park, em Melbourne. Ericsson chegou a publicar um tuíte pouco depois da corrida e disse que Magnussen se desculpou. Mas o piloto dinamarquês da Sauber desmentiu Ericsson e garantiu que não pediu desculpas porque considerou o episódio um incidente de corrida.

 
“Não, não fiz isso. Eu vi o tuíte. Nos vimos no pit-lane e falamos sobre isso, mas não lhe pedi desculpas. Não é culpa dele, é um incidente de corrida”, comentou o dinamarquês em entrevista ao site norte-americano ‘Motorsport.com’.
 
“Ele estava por fora e rodei sobre ele. Se eu fosse ele, teria deixado mais espaço para garantir. Não houve como ter feito de forma diferente, mas é um incidente de corrida”, insistiu Magnussen.

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 3
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

Ericsson e Magnussen se encontraram na primeira volta do GP da Austrália (Foto: Reprodução/Twitter)
Ericsson, contudo, deixou claro que voltou da Austrália em clima de paz com seu oponente, tanto que os dois conversaram durante o voo de volta à Europa na noite após o primeiro GP do ano.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

“Voltamos no mesmo voo domingo à noite, conversamos no avião e Kevin me disse o que sentia. Conheço Kevin bem e sei que ele não pretendia bater”, salientou Marcus que, no entanto, defendeu sua posição de vítima e entende que Magnussen merecia ter sido punido pela manobra.

 
“Você pode chamar de incidente de corrida, mas para mim é complicado olhar para trás e dizer que poderia ter feito de forma diferente. Ele esteve no limite, poderia ter havido uma punição. Aceito que não tenha acontecido. Para mim, estava claro que foi culpa de Kevin e que ele não foi punido”, finalizou Ericsson.
 
O GP da China, o segundo do campeonato, acontece neste fim de semana, e o GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades em Xangai AO VIVO e em TEMPO REAL.
 

PADDOCK GP #72 TRAZ ÁTILA ABREU E DISCUTE ETAPAS DA STOCK CAR, F1, INDY E MOTOGP

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube