F1

Massa diz que “Alonso dividia a equipe ao meio” e lembra “alívio” quando deixou Ferrari

Em entrevista ao programa 'Conversa com Bial', da Rede Globo, Felipe Massa lembrou a relação que teve com seus dois companheiros de equipe mais emblemáticos na F1, Michael Schumacher e Fernando Alonso, e colocou os dois no mesmo patamar quanto ao talento

Warm Up / Redação GP, de Sumaré
Na última semana, Christian Horner, chefe de equipe da Red Bull, destacou o temperamento de Fernando Alonso dentro dos boxes como justificativa para não colocá-lo como opção para ocupar a vaga deixada por Daniel Ricciardo na próxima temporada. Desta vez, em entrevista ao programa 'Conversa com Bial', da Rede Globo, quem falou sobre o espanhol foi Felipe Massa. Companheiro de equipe na Ferrari entre 2010 e 2013, o brasileiro lembrou o caráter competitivo do bicampeão, mas disse que Alonso “dividia a equipe ao meio”, e que isso fez com que suas conquistas na F1 fossem menores do que poderiam ter sido graças ao seu talento.
 
Massa falou sobre o relacionamento que teve dentro da Ferrari com seus dois companheiros de equipe mais vitoriosos: Michael Schumacher, em 2006, e Alonso.
 
“De talento, ponho Schumacher e Alonso em um nível junto. O Alonso tem um talento, uma facilidade de entender a corrida, de virar rápido... Ele é um piloto diferente. Inteligente, rápido, completo, como o Schumacher também era”, comentou Felipe, que reforçou o carinho que tem pelo heptacampeão, a quem costuma se referir como um irmão mais velho.
Felipe Massa e Fernando Alonso foram companheiros de equipe na Ferrari entre 2010 e 2013 (Foto: Ferrari)
“Na verdade, os dois eram difíceis de conviver, mas eu tinha uma relação muito próxima com o Schumacher. Cheguei lá e olhava como ‘me ajuda, me ensina’. Eu queria muito aprender com um cara que havia vencido sete campeonatos. E ele me tratava muito bem”, recordou.
 
“Com Alonso, era uma situação mais de luta. Nunca tive nenhum problema com ele fora do carro. Ele sempre me tratou muito bem, nós sempre tivemos uma boa relação de trabalho. Só que o Alonso tem uma coisa que, quando ele fecha a viseira, parece que são duas pessoas diferentes. E isso acaba dividindo a equipe ao meio. Se você olhar, em muitas equipes em que ele correu, ele dividiu a equipe ao meio”, analisou.
 
“Então esse é um problema que ele tem. Ele não poderia ter esse problema que ele conquistaria mais do que conseguiu pelo talento que ele tem”, complementou Felipe.
 
O agora piloto da FE recorda o momento em que deixou a Ferrari e assinou com a Williams. Como ressaltou em algumas oportunidades, Massa lembrou a carga política que representava ser piloto da Ferrari e disse que foi mais leve para a equipe britânica, que foi defendida por ele entre 2014 e 2017.
 
“Tive uma história muito importante na Ferrari. Longa, bacana, mas difícil também. Quando saí da Ferrari, sabe quando você sente um alívio? Tira um peso das costas. Fui para uma equipe que, sem dúvida, eu estava dando um passo atrás ao sair de uma equipe tão grande. Mas acabei tendo um resultado, uma felicidade, em uma equipe menor”, concluiu o vice-campeão mundial em 2008.