Massa nega frustração por vice em 2008 e diz que acidente com mola o fez “amar mais a vida”

Felipe Massa deixa a F1 bem satisfeito com tudo que conquistou na categoria e sem frustrações. O brasileiro ainda disse que o acidente com a mola na Hungria em 2009 não o mudou como piloto, mas o fez "amar e respeitar mais a vida"

Felipe Massa sempre deixou bem claro que sai da F1 sem qualquer arrependimento ou frustração. O brasileiro falou em entrevista sobre o vice-campeonato de 2008 e o acidente sofrido na classificação do GP da Hungria de 2009, garantindo que não ficou traumatizado com nenhuma das duas situações.

 
O brasileiro lembrou que, em 2008, venceu a corrida final em Interlagos e garantiu que sua frustração pela perda do título não durou muito, já que a sua parte estava feita.
Felipe Massa aprendeu com o acidente com a mola na Hungria (Foto: Williams)
"Em 2008, o que me ajudou a superar a frustração foi o fato de eu ter vencido a corrida final, então eu não tinha como fazer melhor do que aquilo. Ali não tem a ver com o que eu fiz, mas com o meu rival que estava na frente no campeonato e atrás na corrida. Não demorei muito para superar isso, não. Aliás, tenho muito orgulho de tudo que conquistei", disse.
 
Para Felipe, o acidente sofrido no ano seguinte em Hungaroring, em que foi acertado por uma mola no capacete, não afetou sua capacidade como piloto. No entanto, teve um efeito para a vida: o fez amar e respeitar mais o que tem.
 
"Não acho que o acidente tenha mudado algo em mim como piloto. O que mudou foi que passei a respeitar a vida muito mais do que antes. Quer dizer, antes disso eu via um acidente grande e pensava que nunca rolaria comigo. Quando você sofre um acidente desses, dá muito mais valor à vida. Amo minha vida muito mais do que antes e respeito mais ainda os outros", completou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube