Massa relata problema grave na suspensão e se decepciona com abandono em Baku: “Corrida era perfeita”

Felipe Massa voltou a brigar por pódio, mas por poucas voltas. Logo depois de relargar no Azerbaijão, o brasileiro descobriu que o carro tinha sérios problemas de dirigibilidade. O jeito foi abandonar

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A alegria de Felipe Massa no GP do Azerbaijão foi breve. Depois de assumir o terceiro lugar, consequência de uma relargada excepcional, o brasileiro viu o sonho de volta ao pódio se desfazer por conta de um problema na suspensão. Com um carro perto do inguiável, a única opção era levar o carro aos boxes e se despedir de uma prova “perfeita”.
 
“Eu relarguei [depois da bandeira vermelha] e o carro já estava com esse problema”, recordou Massa, entrevistado pela TV Globo. “Alguma coisa quebrou, amortecedor, alguma coisa começou a balançar, sacudir. E não tinha o que fazer, não tinha como fazer as curvas. O carro vinha sacudindo e pulando a cada curva. Ou quebrou algo na suspensão, ou quebrou no amortecedor”, apontou.
Problema na suspensão traseira encerrou a bela jornada de Felipe Massa em Baku (Foto: Reprodução)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Por conta da possibilidade de punição tanto para Lewis Hamilton e Sebastian Vettel, até a vitória parecia ser uma possibilidade para Massa.
 
“É uma pena, a corrida estava sendo espetacular. Na relargada o carro já não andava bem nas retas, tinha alguns carros me ultrapassando. Fico super chateado, a corrida vinha sendo perfeita. Eu estava conseguindo um excelente trabalho e é uma pena. Tudo estava em um caminho perfeito para, quem sabe, conseguir um pódio”, concluiu.
 
Este é o segundo abandono seguido de Massa, novamente por falta de sorte. No GP do Canadá, o brasileiro foi abalroado por Carlos Sainz Jr., que estava desgovernado.
 

A temporada da F1 volta em duas semanas, 9 de julho, com o GP da Áustria. No ano passado, Lewis Hamilton foi quem ficou com a vitória. O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades AO VIVO e EM TEMPO REAL.

NOVA DERROTA EM 2017 MOSTRA QUE TOYOTA E LE MANS SÃO COMO ‘ÁGUA E ÓLEO’

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:

0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe,
.embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;

top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube