Verstappen muda olhar sobre Hamilton e Mercedes, mas “não de forma positiva”

Max Verstappen vai para sua primeira decisão de título na Fórmula 1 em guerra de nervos com Lewis Hamilton e a equipe rival da Red Bull, a Mercedes

O brake-test de Verstappen em cima de Hamilton em Jedá (Vídeo: Reprodução/F1 TV)

Qualquer que seja o desfecho da temporada 2021 da Fórmula 1, em Abu Dhabi, neste domingo (12), dá para dizer que a relação entre Max Verstappen e Lewis Hamilton ficará rachada por muito tempo. Antes de toda a batalha pela taça de campeão do mundo, o holandês nutria uma proximidade com Toto Wolff, chefe da equipe de Brackley, e embora não fosse amigo de Hamilton, seguia e era seguido pelo britânico nas redes sociais. Mas em meio a um bélico e explosivo ano de 2021, Max chegou até a bloquear o rival do Instagram depois do polêmico incidente na primeira volta do GP da Inglaterra, em Silverstone.

Em entrevista coletiva nesta quinta-feira em Yas Marina, palco da decisão do título neste fim de semana, Verstppen foi questionado sobre a mudança de ponto de vista acerca da Mercedes e de Hamilton.

“Sim. E muito. E não de uma forma positiva”, disparou o piloto da Red Bull. O holandês foi perguntado sobre declarações de Bernie Ecclestone, ex-chefão da Fórmula 1. O antigo dirigente máximo do esporte disse que Hamilton e a Mercedes estão intimidando Verstappen.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

MAX VERSTAPPEN; GP DE ABU DHABI; YAS MARINA; F1; FÓRMULA 1; RED BULL;
Max Verstappen chega à decisão do título da F1 sob pressão máxima (Foto: Mark Thompson/Red Bull Content Pool/Getty Images)

“Bem, claramente ele sente que algo não está certo. Para mim, não vejo como bullyng, mas acho que o que está acontecendo, claro, não é correto”, apontou.

Mesmo ciente que sua relação com Hamilton está estremecida, Verstappen garantiu que vai cumprimentar se o rival conquistar o oitavo título neste domingo. Só que Verstappen fez uma ressalva. Só estenderá a mão ao adversário “se tudo correr bem”.

“A única coisa que peço é que isso seja justo para todos, e claramente não é o caso no momento”, comentou o piloto ao falar sobre a sua postura agressiva ao se defender de Hamilton ao longo de toda a temporada e, particularmente, nas últimas corridas, como nos GPs de São Paulo e da Arábia Saudita.

“Não acho que estava errado e, claramente, não é errado para os outros, então por que eu deveria mudar enquanto os outros podem correr assim? Acho que todos deveriam ter permissão para correr desta forma”, declarou.

Por fim, quando questionado se mudou o ponto de vista sobre si próprio, Max foi taxativo. “Acho que sou a mesma pessoa. De novo, é mais uma temporada quase terminada em que se ganha experiência, mas já faz muito tempo que eu me sentia pronto para isso”.

“E para ser sincero, quando entrei para a F1, em 2015, se tivesse um carro campeão, tenho certeza que lutaria pelo título de qualquer forma, até porque um carro muito bom torna sua vida muito fácil. O risco de se envolver em incidentes no meio do grid é menor, você não ultrapassa tanto. De forma realista, na maioria das vezes, você só precisa lutar contra seu companheiro de equipe. Portanto, quanto melhor carro você tiver, menos problemas você vai ter”, opinou.

“Obviamente que, do meu primeiro ano para agora, ganhei muito mais experiência: sobre como abordar um fim de semana com muito mais facilidade, o entendimento dos acertos do carro… mas eu sou a mesma pessoa”, concluiu.

O próximo fim de semana vai marcar o desfecho da temporada 2021 e vai definir o grande campeão deste incrível ano. O GP de Abu Dhabi acontece entre 10 e 12 de dezembro no circuito de Yas Marina. O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo AO VIVO e em TEMPO REAL.

VERSTAPPEN É DURO OU SUJO CONTRA HAMILTON NA F1?
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar