Mercedes aceita derrota e reconhece melhor trabalho da Ferrari na Austrália. Mas promete: “Vamos voltar mais fortes”

Chefe da Mercedes, Toto Wolff aceitou a derrota para a Ferrari e reconheceu o melhor trabalho dos rivais no GP da Austrália, o primeiro da nova temporada da F1. Mas o dirigente prometeu revanche e afirmou que a esquadra tricampeã vai voltar ainda mais forte na China

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A Mercedes reconheceu a derrota e aceitou que a Ferrari fez um melhor trabalho no último domingo (26). Mas também prometeu revanche. A equipe italiana se mostrou forte no GP da Austrália, que abriu a temporada 2017 da F1, com uma vitória segura de Sebastian Vettel, construída também pela estratégia de um único pit-stop. 

 
Pole-position, Lewis Hamilton liderou a corrida até ter de parar, na volta 17, alegando um desgaste acentuado dos pneus ultramacios. Vettel, que acompanhou de perto o inglês na primeira parte da prova, foi aos boxes somente seis giros depois, voltou à frente, enquanto o tricampeão se viu preso atrás de Max Verstappen – o tempo perdido também ajudou o ferrarista escapar na ponta. Por isso, o chefe da equipe alemã acha que o foco agora é aprender com os erros. 
 
"Acho apenas que algumas vezes nós perdemos e, outras, ganhamos. Tivemos muita sorte nos últimos três anos e vencemos a maior parte das corridas. Mas agora é hora de aceitar que a Ferrari nos derrotou", disse Toto Wolff aos jornalistas, em Melbourne, logo após a corrida. "Nós voltaremos mais fortes. Nós não tivemos uma grande pré-temporada e nem um bom domingo, mas não deixaremos pedra sobre pedra na tentativa de voltar a vencer", completou.
Toto Wolff reconheceu o melhor trabalho da Ferrari em Melbourne (Foto: Getty Images)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
Mesmo tendo dominado a F1 nas últimas três temporadas, o dirigente austríaco falou que perder em uma luta direta com a Ferrari não deixou um sentimento especialmente ruim, afirmando que, apesar das vitórias seguidas, a Mercedes sempre correu sob pressão. 

 
"Mesmo ganhando todas essas corridas e deixando a impressão de ter sido fácil, era claro que nunca foi bem assim. Nós sempre fomos muito céticos quanto ao nosso desempenho e sempre consideramos a possibilidade de um cenário pior. Nós sempre consideramos a Red Bull e a Ferrari como verdadeiras rivais e, portanto, a percepção ou a perspectiva é absolutamente a mesma", acrescentou.
 
"É claro que prefiro vencer sempre, mas perder faz parte do jogo. Tivemos um período excepcional nos últimos três anos e simplesmente não podemos achar que isso duraria para sempre. Estava claro que o momento da derrota chegaria um dia, mas precisamos ser humildes e aceitar que alguém fez um trabalho melhor, e foi isso que aconteceu: eles fizeram um ótimo trabalho e Sebastian mereceu a vitória", encerrou Wolff.
 
A próxima etapa da F1 acontece daqui a duas semanas, em 9 de abril, na pista chinesa de Xangai.
 
PADDOCK GP #70 FAZ PRÉVIA DE ABERTURA DAS TEMPORADAS DE F1 E MOTOGP E LEMBRA PACE

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube