Mercedes assume abalo “desorientador” com derrotas na F1, mas crê em virada em 2024

James Allison, diretor-técnico da Mercedes, admitiu que os últimos anos foram difíceis para a equipe, mas crê em "regresso às vitórias" na F1 2024

A temporada 2023 marcou mais um ano em que a Mercedes teve muitas dificuldades com seu carro. E foram quase dois W14 diferentes, é verdade. No início do ano, os alemães insistiram no conceito ‘zero-pod’ até deixá-lo para trás no GP de Mônaco.

E esse conceito surgiu e foi bastante defendido pelo time de Brackley em 2022, quando, ao menos, George Russell ‘aliviou’ a situação ao vencer o GP de São Paulo. Ainda assim e mesmo com o vice-campeonato neste ano, eles decepcionaram e é que incomoda bastante James Allison, diretor-técnico da equipe.

Relacionadas


“Quando uma equipe está, como nós, em um patamar muito elevado por um grande número de anos, por um longo período de tempo e cai é muito desorientador”, disse ele em entrevista ao podcast Performance People.

“É muito desagradável sentir de repente que o que vocês sentiam anteriormente sobre si mesmos como grupo, que as bases disso foram afrouxadas pela realidade do cronômetro e por serem derrotados por outras equipes. Isso abala a confiança de uma organização e também coloca muitas pressões de curtíssimo prazo sobre uma empresa que está acostumada a pensar mais à frente”, continuou.

Mesmo com os pilotos tendo oscilações no desempenho, a Mercedes garantiu o segundo lugar entre os construtores (Foto: Mercedes)

Alisson insiste que o foco ao longo da temporada, sobretudo após a mudança no chassi e design no W14, foi voltar a brigar por vitórias e títulos em 2024.

“O objetivo foi tentar reunir tudo isso, tentar fazer com que os principais engenheiros que lideram as principais divisões da empresa conversassem mais uns com os outros, para tentar levar tirar de seus ombros um pouco da pressão imediata e apenas abafar o grito que vem do carro e apenas se concentrar na coordenação do nosso trabalho”, explicou

“Espero que tenhamos implementado um programa de trabalho suficiente para que nos empenhemos com um grito de regresso às vitórias. Isso significa vencer uma corrida? Isso significa ganhar um campeonato? Na minha cabeça, só se trata de campeonatos. Isso é o que é a F1. É um campeonato de construtores e de pilotos. Então, espero que tenhamos feito o suficiente para nos dar a chance de estar na luta pelo título em ambos os campeonatos”, encerrou.

:seta_para_frente: Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
:seta_para_frente:Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra, Escanteio SP e Teleguiado.