Mercedes diz que aceitar rivalidade foi fundamental para administrar com sucesso relação entre Rosberg e Hamilton

Toto Wolff, chefe da Mercedes, afirmou que o sucesso da equipe alemã em gerenciar bem o relacionamento entre Nico Rosberg e Lewis Hamilton foi aceitar que existia uma rivalidade e tratá-la como transparência

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Chefão da Mercedes, Toto Wolff acredita que aceitar a intensa rivalidade que se criou entre Lewis Hamilton e Nico Rosberg foi a chave para o sucesso da equipe e um ponto fundamental para o gerenciamento do relacionamento entre ambos ao longo dos últimos anos de domínio da marca na F1.

 
Os dois pilotos dividiram a esquadra alemã por quatro temporadas. Neste tempo, foram 54 vitórias, sendo que o inglês conquistou dois títulos contra um do alemão. A disputa entre os dois também foi bastante acirrada, com direito a acidentes e troca de farpas. No fim, Rosberg, que garantiu o campeonato neste ano, decidiu se retirar do esporte, abrindo uma vaga das mais cobiçadas no grid de largada.
 
Falando à revista inglesa 'Autosport', Wolff tentou explicar como administrou a disputa interna entre seus dois pilotos. "O que conseguimos é que, depois de tanto trabalho, mantivemos os dois. Na história, quando dois grandes pilotos são colocados na mesma equipe, isso acontece por apenas um ou dois anos, nós fizemos isso por quatro temporadas. Tivemos momentos difíceis de administrar, mas fundamentalmente conseguimos mantê-los juntos, reconhecendo que havia uma rivalidade intensa ali, e isso foi importante. E fizemos isso como uma equipe", disse o austríaco.
 
"Não foi preciso gerenciar tudo de uma vez, porque eles sabiam que havia também um grande esforço das pessoas dentro da fábrica", completou.
Toto Wolff é o chefão da Mercedes (Foto: Mercedes)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
O dirigente também afirmou que a Mercedes aprendeu com seus erros ao longo do tempo e também com os erros dos adversários, e que a transparência nas decisões também teve peso no convívio diário da dupla. "Você precisa aprender com seus erros e com os dos outros também", destacou Toto.

 
"Nós investimentos tempo nesta parceria e a transparência foi um algo importante. Não existe nada oculto. Tudo sempre foi colocado em cima da mesa e discutido", emendou.
 
Por fim, Wolff não soube explicar os altos e baixos vividos por Rosberg e Hamilton ao longo da temporada deste ano. "Não entendo e deixei de entender também", admitiu. "Um foi bem em um fim de semana e o outro não. Não sei explicar, mas posso dizer que são seres humanos no carro. Há dias bons e há dias ruins. Não há um padrão. E não vamos analisar porque essas coisas aconteceram", finalizou.
fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube