Mercedes paga ‘preço do sucesso’ com taxa de R$ 22 milhões para 2020

Os valores são impulsionados em razão do valor cobrado por cada ponto conquistado ao longo de 2019 pela construtora campeã: US$ 6,6 mil (ou R$ 27,9 mil). Por ter marcado nada menos que 739 tentos, a Mercedes vai bancar muito mais do que as outras pela taxa de inscrição para 2020. No outro oposto da tabela aparece a Williams, que vai pagar uma taxa de R$ 2,3 milhões, quase dez vezes menos que a hexacampeã do mundo

A FIA (Federação Internacional de Automobilismo) divulgou, na esteira da derradeira reunião do ano do Conselho Mundial, na última quarta-feira (4), os valores que as dez equipes do Mundial de F1 vão bancar como taxa de inscrição para a temporada 2020. 
 
Seguindo o conceito que leva as equipes mais bem-sucedidas a arcarem com os maiores custos a respeito, a Mercedes vai ser a equipe a desembolsar o maior valor pela sua taxa. E mesmo tendo somado 736 pontos, menos que a pontuação recorde de 765 de 2016, o time prateado vai bancar a maior taxa da história da F1 para disputar uma temporada.
 
O ligeiro reajuste foi promovido pela FIA com base no índice norte-americano de preços ao consumidor em relação aos dois últimos anos. 
 
As cifras foram ainda mais impulsionadas porque a FIA cobra US$ 6,6 mil da construtora campeã (ou R$ 27,9 mil) por cada ponto conquistado, diferente da pontuação padrão, de US$ 5,5 mil (ou R$ 23,2 mil). 
Campeã de tudo em 2019, a Mercedes é quem vai pagar a maior taxa de inscrição para 2020 (Foto: Mercedes)
Assim, como a Mercedes conquistou 739 tentos no Mundial de Construtores, o valor total a ser pago é de US$ 5,49 milhões (ou R$ 22,9 milhões na cotação atual), sendo que a maior parte deste valor, R$ 20,6 milhões, diz respeito aos pontos conquistados, e a taxa base, esta cobrada de todas as outras equipes, no valor de R$ 2,3 milhões. 
 
Já a Ferrari, vice-campeã do Mundial de Construtores, vai bancar um valor de inscrição muito menor na comparação com a Mercedes, mas ainda assim bastante alta: R$ 14 milhões. A Red Bull vai ter um custo ligeiramente menor na comparação com a Ferrari, de R$ 12 milhões. A McLaren, que somou 145 pontos em 2019, vai bancar um valor bem menor: R$ 5,69 milhões.
 
Renault e Toro Rosso, que marcaram 91 e 85 pontos no Mundial de Construtores, respectivamente, vão receber valor quase idêntico: pouco mais de R$ 4,30 milhões. A Racing Point vai pagar R$ 4 milhões. A Alfa Romeo terá de pagar R$ 3,65 mi, enquanto a taxa de inscrição da Haas para 2020 é de 2,97 milhões. 
 
Lanterna do Mundial com apenas um ponto somado, a Williams também vai ser a que vai pagar menos de taxa à FIA pela sua presença na temporada 2020 da F1: R$ 2,3 milhões.

Paddockast # 44
RETROSPECTIVA 2019: MUITO QUE BEM, MUITO QUE MAL

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube