Schumacher admite “exaustão”, mas garante foco em voltar à F1: “Vou provar que erraram”

Mick Schumacher reconheceu que o processo de tentar voltar ao grid da F1 cobra um alto preço emocional, mas quer provar que demissão foi um erro da Haas e garantiu que "está com fome" de mostrar o que pode fazer na categoria

Fora do grid da Fórmula 1 desde o fim de 2022, quando completou seu segundo ano de Haas, Mick Schumacher não abandonou o sonho de voltar à principal categoria do automobilismo mundial. O alemão, que disputa as 24 Horas de Le Mans com a Alpine neste fim de semana, garantiu que o principal objetivo neste momento é retornar, mas admitiu que o custo emocional a se pagar por isso tem sido alto nos últimos anos.

“Lutar para voltar [à F1] é exaustivo”, admitiu Schumacher ao jornal britânico The Independent. “É como se você tivesse um bolo muito bom oferecido a você, mas você não pode comer e ainda precisa ver enquanto todos comem. Então, com certeza é duro, mas sei o motivo de estar fazendo isso”, afirmou o piloto alemão.

“A Fórmula 1 é um sonho que tenho desde os cinco anos de idade. Não estou pronto para abandonar esse sonho. Às vezes, você sente que tem uma chance, mas acaba não acontecendo porque outra coisa acontece. Tem sido uma montanha-russa emocional e exaustiva nos últimos anos. Mas estou trabalhando para voltar”, garantiu.

Schumacher completou duas temporadas na Fórmula 1, ambas pela Haas, em 2021 e 2022. Campeão da Fórmula 2 em 2020, o alemão foi 19º na primeira participação, em que a equipe não somou um ponto sequer, e 16º na segunda. Para 2023, entretanto, o time americano decidiu substituir Mick pelo veterano Nico Hülkenberg. A partir daí, o filho do heptacampeão Michael Schumacher passou ao posto de reserva da Mercedes.

Mick Schumacher andou com o W14 em teste de pneus em Barcelona nesta quarta-feira (07) (Foto: Mercedes/Divulgação)
Schumacher é reserva da Mercedes desde que deixou a Fórmula 1 (Foto: Mercedes/Divulgação)

Para Schumacher, entretanto, os dois anos de Haas não foram suficientes para mostrar às pessoas o que pode fazer dentro do carro. O alemão garantiu que segue focado e “com fome” de voltar ao grid e quer provar que a Haas tomou a decisão errada ao demiti-lo.

“Acho que vou começar a escrever meu currículo e mandá-lo para as pessoas. Nunca foi segredo, meu objetivo é voltar ao grid. Mostrei de várias maneiras que sou capaz de vencer campeonatos. É apenas uma questão de me encaixar na programação de alguém. Ainda há muito a ser visto, principalmente do ponto de vista de pilotagem”, afirmou.

“Eu entendo o quanto poderia ter melhorado [na Haas], há muito mais a mostrar de minha parte. Estou com fome disso. Preciso continuar performando no WEC, mostrando a todos o que posso fazer. Então, as pessoas vão saber que se me contratarem, poderei mostrar a todos que tomaram a decisão errada ao não me manterem [na F1]”, finalizou Schumacher.

Neste fim de semana, Schumacher disputa as 24 Horas de Le Mans com a Alpine (Foto: Alpine)

Schumacher comanda o hipercarro #36 da Alpine junto aos franceses Nicolas Lapierre e Matthieu Vaxivière nas 24 Horas de Le Mans deste fim de semana.

GRANDE PRÊMIO transmite AO VIVO e COM IMAGENS as 24 Horas de Le Mans, quarta etapa da temporada 2024 do WEC, na GPTVcanal 1 no YouTube, e no TikTok.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.