Na contramão de Newey, diretor-técnico da Mercedes defende bicos mais baixos: “Foi bastante estudado”

Paddy Lowe, diretor-técnico da Mercedes, saiu em defesa dos bicos mais baixos nos carros de 2014 e afirmou que a solução foi amplamente estudada pelo Instituto FIA

Paddy Lowe, diretor-técnico da Mercedes, saiu em defesa da mudança no regulamento da F1 que resultou em bicos mais baixos nos carros da temporada 2014. A postura do dirigente vai na contramão das declarações dadas por Adrian Newey, projetista da Red Bull, que avaliou que os novos bicos podem ser perigosos.
 
Na visão de Lowe, a mudança foi amplamente estudada e o aumento na segurança anula a aparência duvidosa dos bólidos.
Paddy Lowe defendeu opção por bicos mais baixos na F1 (Foto: Mercedes)
“É algo que foi discutido e bastante estudado pelo Grupo de Trabalho Técnico ao longo dos anos, mas, principalmente, sob a orientação do Instituto FIA, que faz muitas pesquisas nesta área”, explicou Lowe. “Então foram eles que fizeram a recomendação de que os bicos mais baixos são a melhor solução, e a melhor alternativa para uma gama de diferentes tipos de acidentes que um carro pode experimentar”, continuou.
 
“Não há uma solução perfeita para cada tipo de impacto, mas nós precisamos considerar impactos de todos os tipos de direção nos carros, particularmente em um impacto com a roda traseira, como vimos com Mark Webber em Valência, onde o lançamento é um risco real”, recordou. “É particularmente nesta situação que o bico baixo ajuda bastante. Então a análise e a pesquisa foram de que esta é a melhor solução e eu respeito isso”, completou. 
 
Na visão de Newey, entretanto, os bicos mais baixos podem fazer que os carros entrem um embaixo do outro em caso de acidente. “Se você acertar a traseira de um carro em cheio, você vai para baixo dele e acaba debaixo da estrutura de impacto traseira, o que acho que é um cenário muito pior”.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube