Na frente apenas de McLaren e Marussia, Ericsson diz que chave para recuperação é melhorar nos treinos classificatórios

Marcus Ericsson sabe que precisa melhorar seu desempenho na temporada 2015. Para crescer na pontuação na segunda metade do campeonato, o sueco acredita que precisa, antes de tudo, de melhores posições de largada

Marcus Ericsson acredita ter encontrado a resposta para a recuperação durante a segunda metade da temporada 2015 da F1: melhorar seu rendimento durante as classificações e garantir melhores posições no grid que o companheiro Felipe Nasr. Até aqui, Nasr tem 6-3 no placar de posições no grid.
 
O sueco afirmou que, na sua visão, seu ponto mais fraco tem sido o desempenho nas classificações.
 
“Para mim, está bem claro que eu preciso evoluir nos treinos classificatórios. É onde estou sofrendo mais, especialmente em relação ao meu companheiro de equipe”, disse o piloto.
 
Ericsson explicou que, ao classificar atrás de Nasr, perde algumas possibilidades de estratégia para a corrida.
 
“Ficar atrás do companheiro de equipe no grid não é nada bom. Você nunca ganha a prioridade na estratégia e isso só serve para complicar a sua prova”, falou.
 
O piloto do carro #12 afirmou que a Sauber tem um bom carro, mas que ele precisa se entender melhor com o bólido, aprender a tirar o máximo.
 
“O carro tem um balanço bom, boas características aerodinâmicas e é bom de guiar, mas às vezes você precisa fazer algo para que ele fique mais no seu estilo. Sinto que preciso me encontrar mais no carro durante as classificações, tirar tudo dele”, declarou.
Marcus Ericsson acredita que a chave para a recuperação em 2015 é classificar melhor (Foto: AP)
Ericsson reconheceu que a Sauber tem sofrido com a defasagem no programa em relação às demais equipes, mas admitiu que isso não é nenhuma surpresa.
 
“Estamos sofrendo um pouco para acompanhar o ritmo daqueles que estão com muito mais novidades durante o ano do que a gente. Mas não posso dizer que isto me surpreendeu. Todos já sabiam que seria assim, esta é a política do time em 2015”, afirmou.
 
O sueco mostrou certa frustração em agora estar do meio para o fim do pelotão, mas garantiu que a Sauber está confiante em uma reação para a segunda metade do campeonato.
 
“Claro que não é divertido não ser tão competitivo quanto éramos no começo do ano, mas precisamos seguir buscando tirar de onde temos. Também esperamos que a segunda parte da temporada seja mais positiva para o time, que a gente volte a brigar por boas posições”, completou.
 
Ericsson ocupa a 16ª colocação no Mundial de Pilotos e está na frente apenas das McLaren e das Marussia. O sueco anotou apenas cinco pontos na temporada, 11 a menos que Nasr.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube