Na Garagem: Marlboro anuncia que deixa McLaren após mais de duas décadas

Terminou junto da temporada 1996 o mais icônico patrocínio da história da F1: o da Philip Morris à McLaren. A parceria rendeu títulos para Emerson Fittipaldi, James Hunt, Niki Lauda, Alain Prost e Ayrton Senna

Nem tudo é para sempre. Foi há exatos 20 anos que a Philip Morris anunciou o fim do mais icônico patrocínio da história da F1: ao final de 1996, os carros da McLaren deixariam de carregar as cores da Marlboro.

 
A associação teve início em 1974, não por coincidência, o ano do primeiro título da McLaren no Campeonato Mundial. O brasileiro Emerson Fittipaldi, recém-chegado da Lotus, foi quem conduziu o carro à conquista.
James Hunt certamente foi um dos grandes garoto-propaganda da história da Marlboro (Foto: Forix)
Dali em diante, a Marlboro sempre foi importantíssima dentro da equipe, inclusive participando da tomada de decisões cruciais. Uma delas foi quando Emerson escolheu sair do time para defender a Copersucar. Pesou a opinião da patrocinadora na opção por James Hunt, o maior playboy da história da categoria, que veio a ser campeão em 1976. Hunt não precisava nem que alguém lhe pedisse para acender um cigarro assim que descesse do carro. 
 
Tudo sempre passava pela mão do executivo John Hogan. Sua influência era tão grande que ele fez a equipe mudar de dono nos anos 80. Insatisfeito com a gestão de Teddy Mayer depois dessas duas conquistas, foi Hogan quem costurou nos bastidores a compra da equipe por parte de Ron Dennis. O britânico deu início a uma nova era.
Senna, com as cores da Marlboro no carro da McLaren, viveu os momentos mais marcantes de sua carreira (Foto: Forix)

           
    google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
    google_ad_slot = “5708856992”;
    google_ad_width = 336;
    google_ad_height = 280;

Com Niki Lauda, a escuderia voltou a ser campeã em 1984. Alain Prost deu sequência com títulos em 1985, 1986 e 1989, e Ayrton Senna ganhou em 1988, 1990 e 1991. Nem mesmo a Ferrari da década passada foi capaz de ganhar sete de oito campeonatos de Pilotos, perdendo apenas para a Williams-Honda de Nelson Piquet em 1987.

 
“Durante os 23 anos de patrocínio”, destacou o comunicado divulgado pela Philip Morris em agosto de 1996, “a Marlboro McLaren teve um sucesso sem precedentes, vencendo nove títulos de Pilotos, sete de Construtores e 96 GPs. Somos muito orgulhosos destas marcas.”
 
A Marlboro, com isso, se mudou de vez para a Ferrari, a quem já estava associada desde 1993. A parceria está em seu 23º ano, ainda que as propagandas de cigarro tenham sido proibidas. Hoje, o acordo é voltado para ações de relacionamento.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube