Na Garagem: Massa brilha e vai ao pódio pela última vez na Fórmula 1 no GP da Itália

O dia 6 de setembro de 2015 guarda o último pódio de Felipe Massa na F1, com o terceiro lugar em Monza, após boa batalha na pista com Valtteri Bottas, então seu companheiro de Williams

O Brasil já foi aos pódios da Fórmula 1 exatas 293 vezes na história da mais famosa categoria do automobilismo mundial – e a que atrai mais fãs por aqui. Felipe Massa foi responsável por 41 deles, resultado de 11 vitórias, 13 provas no segundo lugar e outros 17, todos relativos ao terceiro posto. Coube também ao vice-campeão mundial de 2008 segurar pela última vez um troféu no palco de celebrações, até 2020 (algo que não vai mudar, já que não há brasileiros na F1 no momento).

Tal fato se deu em 6 de setembro de 2015, portanto há exatos cinco anos. Monza, com o GP da Itália, foi o cenário do derradeiro brilho verde e amarelo (ou branco e azul, afinal Massa era da Williams; bem, estas também são cores da bandeira do Brasil), com a terceira posição.

Massa havia sido também terceiro no GP da Áustria, pouco antes, em 21 de junho. Não terminava em segundo também há não muito tempo então: foi no GP de Abu Dhabi, a última etapa de 2014. Vencer, porém, já parecia um sonho distante. Seu triunfo final na F1 foi no famoso GP do Brasil de 2008.

Portanto, ganhar a extremamente equilibrada briga com Valtteri Bottas, companheiro de Williams naquele 2015, valeu uma festa final ao brasileiro – a dupla, inclusive, havia tido a continuidade para 2016 anunciada na semana prévia ao GP.

Felipe Massa segura Valtteri Bottas em Monza (Foto: Mark Thompson/Getty Images)

A Williams ainda não era o que se vê na atualidade, e os últimos respiros também traziam um pouco de sorte. Após se classificar em quinto, Massa ganhou uma posição após erro de Kimi Räikkönen na largada – o finlandês ficou parado no posto do segundo lugar -, e outra sobre Nico Rosberg, que por largar em quarto foi atrapalhado pelo ferrarista.

Apenas na volta 22 que Massa cedeu o terceiro lugar a Rosberg, já que teve que parar, e o alemão foi aos boxes da Mercedes antes, acertando na estratégia de pneus. Mas, como dito, a equipe de Frank e Claire ainda conseguia atrair mais prosperidade do que azar…

Faltando duas voltas para o final, e com pressão sobre Sebastian Vettel, então segundo colocado, o motor de Rosberg falhou e o alemão abandonou a prova. Ou seja: quem estava em quarto, subiu na classificação. E este era da Williams: Felipe Massa.

O pódio do GP da Itália de 2015 (Foto: F1)

Não havia acabado ainda: Bottas estava colado no brasileiro, constantemente a menos de um segundo. Na abertura da penúltima volta, abriu asa na reta principal, mas Massa segurou. E a bandeira amarela no setor em que Rosberg parou não impediu a continuidade da batalha.

Os pneus desgastados de Massa faziam com que a dificuldade fosse grande. Na abertura do giro final, Bottas colou de vez no companheiro, e o fim da reta trouxe uma forte defesa do brasileiro na freada. Na metade da volta, Bottas chegou a colocar de lado, por fora – nova defesa.

A transmissão, então, corta da briga para mostrar os ‘tchauzinhos’ de Vettel para a torcida italiana, então o mistério e a tensão subiram. Mas, a metros da bandeirada, a imagem volta para Massa, já com os caracteres na tela: terceira colocado.

Felipe Massa supera Bottas na batalha pelo pódio em Monza (Foto: Reprodução/ TV Globo)

Nem tudo foi sorte, porém: afinal, milagres acontecem, mas têm limite. Lewis Hamilton, enfim citado neste texto, venceu a corrida. Mas o último pódio brasileiro teve um curto período de esperança por um possível avanço de segundo para o terceiro posto.

É que Hamilton foi investigado após a corrida por uma possível irregularidade na pressão dos pneus dos carros da Mercedes. Após 2h30min que a direção de prova decidiu que não aplicaria punição. Se o contrário fosse feito, Massa seria segundo.

Não foi, e isso acabaria pouco mudando a história: Massa terminou o campeonato em sexto, neste caso atrás de Bottas, e não voltaria mais ao pódio – tal como a bandeira do Brasil na Fórmula 1.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube