Na Garagem: Montezemolo retorna a Maranello como presidente da Ferrari

Em 16 de novembro de 1991, Gianni Agnelli, então presidente da Fiat, anunciou que Luca di Montezemolo seria o novo presidente da Ferrari. O italiano ficou no cargo por 23 anos até entregá-lo, no ano passado, a Sergio Marchionne

Foi em 16 de novembro de 1991 que a história da Ferrari começou a virar na F1. Naquele dia, há exatos 24 anos, o presidente da FIA, Gianni Agnelli, nomeou como novo presidente da Ferrari o italiano Luca Cordero di Montezemolo, que voltava à escuderia.

 
Três anos depois da morte de Enzo Ferrari, a escuderia italiana se via em uma seca enorme na F1. O jejum de títulos durava desde a conquista do Mundial de Construtores em 1983; já uma taça de Pilotos não era erguida por um ferrarista desde 1979, com Jody Scheckter.
 
Montezemolo comandou um longo processo de reorganização em Maranello que, no início da década passada, fez o time retomar o status de maior campeão da F1 — o posto havia sido perdido para a McLaren.
Montezemolo com Lauda na década de 1970. O dirigente rodou o mundo para voltar como presidente em 1991 (Foto: Ferrari)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Os pilares deste processo foram Jean Todt, que chegou pouco depois para assumir a chefia da equipe, Michael Schumacher, contratado em 1996, e Ross Brawn, que havia trabalhado com o alemão na Benetton. Rory Byrne foi outro nome importante.

 
A seca se encerrou em 1999, com a conquista de Construtores, e em 2000, com o tri de Schumacher.
Michael Schumacher e Luca di Montezemolo (Foto: Ferrari)
Montezemolo, além de ter sido chefe de equipe nos anos 1970, havia passado por diversos outros cargos dentro da Fiat, além de ter sido diretor da empresa de bebidas Cinzano, chefiado o time italiano da America’s Cup em 1982, e presidido o Comitê Organizador Local da Copa do Mundo Fifa de 1990.
 
O dirigente também teve papel fundamental para a reconstrução da Ferrari fora das pistas. Como os parceiros do ‘Flatout Brasil’ relataram recentemente, o departamento de carros de rua era uma bagunça completa até Montezemolo colocar ordem na casa. A empresa deixou de existir apenas para bancar as corridas e passou a se modernizar e inovar nos modelos. Em 20 anos, a receita cresceu quase dez vezes.
 
Montezemolo deixou a presidência da Ferrari em outubro de 2014, quando entregou o cargo para Sergio Marchionne. Hoje, comanda a companhia aérea Alitalia.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube