Na Garagem: Monza é palco da chegada mais apertada de todos os tempos na F1

Peter Gethin, Ronnie Peterson, François Cevert e Mike Hailwood ficaram separados por apenas 0s18 no GP da Itália de 1971. E o quinto colocado, Howden Ganley, apareceu apenas meio segundo depois

Nem dá para gastar muito tempo descrevendo o que foi a chegada do GP da Itália de 1971, disputado há exatos 45 anos. O mais correto é colocar aqui o vídeo com o final mais apertado da história da F1.

 
Os carros para se prestar atenção: Peter Gethin, BRM, #18; Ronnie Peterson, March, #25; François Cevert, Tyrrell, #2; Mike Hailwood, Surtees, #9; e Howden Ganley, BRM, #19.
 
 
Não só os 0s010 que separaram Gethin de Peterson constituíram a menor diferença da história da F1: não há outra corrida na história que teve os cinco primeiros colocados separados por apenas seis décimos. Os quatro primeiros ficaram separados por somente 0s18 e passaram lado a lado pela linha de chegada.
 
Chris Amon fez a pole com a Matra, mas foi Clay Regazzoni, apenas oitavo no grid, quem assumiu a liderança na largada com a Ferrari. A briga nas voltas iniciais ainda envolveu os pilotos já mencionados mais Jackie Stewart, Jo Siffert e Jacky Ickx. 
 
Oito pilotos diferentes lideraram a prova, o que também é um recorde na F1. Os GPs do Canadá de 1973 e 2008, o da Inglaterra de 1975 e o da Austrália de 2013 tiveram sete líderes diferentes cada.
O GP da Itália de 1971 foi um dos melhores de todos os tempos na F1 (Foto: Forix)

           
    google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
    google_ad_slot = “5708856992”;
    google_ad_width = 336;
    google_ad_height = 280;

Como era tão normal nos anos 1970, problemas mecânicos foram eliminando concorrentes. Os motores de Ickx e Stewart quebraram após 15 voltas. O de Regazzoni, duas voltas mais tarde. Siffert teve problemas de câmbio e levou duas voltas do líder. E Amon foi um cara que chegou a controlar as ações antes de seu motor superaquecer.

 
Sobraram cinco carros, que brigaram até a bandeirada em uma batalha absolutamente incrível. Foi a única vitória de Gethin, e também a prova mais rápida da história da F1 com uma média de velocidade de 242,616 km/h. O recorde só foi quebrado em 2003, quando Michael Schumacher venceu com média de 247,586 km/h.
 
Felizmente, o YouTube tem na íntegra essa preciosidade. Divirtam-se!
 


PADDOCK GP #44 DEBATE VITÓRIAS DE ROSBERG EM SPA E DE RAHAL NO TEXAS

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube