Organizador já admite cancelar GP da Holanda: “O vírus nos têm todos nas suas mãos”

Jan Lammers, responsável pela organização do GP da Holanda, deu um depoimento marcante sobre o cenário atual, com o mundo sendo paralisado e devastado pelo novo coronavírus. O ex-piloto holandês deixou claro que, em uma realidade na qual muitas pessoas morrem ou lutam pela vida, a não-realização da corrida em 2020 “é um inconveniente, mas não um drama ou um desastre”

A brutal crise global provocada pela pandemia do novo coronavírus vem provocando baixas em série no mundo do esporte. O Mundial de F1 já teve sete GPs diretamente afetados em razão das suspensões das etapas da China, Austrália, Bahrein e Vietnã e do adiamento dos GPs da Holanda e da Espanha, este anunciado na última quinta-feira (19). Também na quinta-feira, a organização do GP de Mônaco confirmou o cancelamento da clássica prova, que vai ficar fora do calendário pela primeira vez em 66 anos. Jan Lammers, ex-piloto, vencedor das 24 Horas de Le Mans em 1988 e organizador do GP da Holanda admite que a prova também pode não acontecer em 2020.
 
Graças à onda laranja provocada pela ascensão de Max Verstappen como um dos melhores pilotos do grid, o GP da Holanda voltou ao calendário do Mundial de F1 depois de realizar sua última prova no campeonato em 1985. Para organizar o evento, Zandvoort promoveu uma série de reformas não somente nas suas instalações, mas também em vários trechos na pista, além de inaugurar duas curvas inclinadas que prometiam ser grandes atrações. A corrida, que tem ingressos esgotados, estava marcada para 3 de maio, mas agora tem sua disputa incerta.
 
Lammers deu um depoimento marcante ao site norte-americano ‘Motorsport.com’ e reconheceu a possibilidade real de o GP da Holanda não acontecer em 2020. Mas o ex-piloto é claro ao afirmar que, caso o evento seja de fato cancelado, não é o maior dos problemas e se mostrou alerta para a tragédia pela qual o mundo atravessa. A Holanda não escapa imune e conta 2.468 infectados pelo coronavírus e 76 mortos, de acordo com os números atualizados.
Reformada para receber a F1, Zandvoort pode não ter etapa do Mundial em 2020 (Foto: F1)
Paddockast #53
TÉO JOSÉ – O HOMEM QUE 'NÃO PERDE MAIS'

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM


“Nós aceitamos o fato de que [o cancelamento] pode ser uma das consequências. Há países em que o vírus sequer entrou. Onde estamos no gráfico do pico? Na China, está voltando ao controle, mas em qual estágio nós estamos no momento. É algo que gostaríamos de pensar que estamos no controle, mas não estamos, é o vírus que nos têm todos nas suas mãos”, disse o organizador, lembrando que o cenário é completamente imprevisível.
 
“Claro que nos sentimos mal pelos fãs, mas, ao mesmo tempo, os fãs vivem no mesmo mundo que nós. É o vírus que tem todos nós no controle, por isso não somos responsáveis por nada no momento. É o vírus que nos guia em todos os tipos de direções”, declarou.
 
Consciente, Lammers disse que não seria correto levar adiante a corrida no dia em que o evento estava agendado. “Há muito mais acontecendo no mundo no momento, de modo que seria completamente equivocado ter um GP em 3 de maio. Mesmo se pudermos fazer isso, você deve se perguntar se isso é algo que você quer fazer”.
 
“A notícia mais importante é: ok, não vai ser em 3 de maio. A grande questão agora é: ‘Quando vai ser então?’”, questionou.
 
“Estaríamos na lua se em julho pudermos dizer que o país e o mundo estarão livres do vírus, mas o quão realista é isso? No momento, precisamos apenas estar prontos para todos os tipos de cenários, e mesmo como fã, é melhor você se perguntar se adiar por um ano não seria melhor. Todos os cenários são possíveis. Pode ser uma questão de tempo até que você precise cancelá-lo. Está tudo acontecendo no mundo em que todos vivemos. Você olha em volta e diz: o quão realista é isso? Me diga?”, indagou Lammers, que citou a dramática situação que atravessa a Itália, com 41.035 pessoas infectadas e 3.405 mortos pelo coronavírus, segundo os números atualizados.
 
“Há um enterro a cada meia hora em Bérgamo”, citou o piloto, fazendo menção à cidade mais afetada pelo coronavírus no país.
 
No fim das contas, Lammers deixa claro: se o GP da Holanda não acontecer em 2020, vai ser o menor dos problemas diante da realidade do mundo em tempos de pandemia. “Se você é um fã e comprou seu ingresso, você perguntar quando o GP está à luz do que está acontecendo neste momento, é um inconveniente, não um drama ou um desastre”.
 
“Pessoas saudáveis estarão na semana que vem lutando pelas suas vidas. Se isso não aconteceu em seu próprio círculo [de amizades], você deve se considerar um sortudo. Espere até que chegue perto de você antes de perceber o que está acontecendo no mundo”, encerrou.
 

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

assine agora