Otimista com novas regras da F1, Sainz destaca aumento da exigência física: “Corpo humano vai voltar a ser limitação”

Carlos Sainz Jr está muito otimista com as novas regras da F1, que entram em vigor no ano que vem. Isso porque, para ele, os novos carros irão exigir muito mais do lado físico dos pilotos. Sainz se considera um ótimo atleta e, por isso, quer ver o resultado

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

As regras da F1 vão mudar agressivamente em 2017, e isso também afeta os pilotos. Com carros mais rápidos e maior donwforce, a parte atlética será mais testada que nos carros atuais. Para Carlos Sainz Jr, já confirmado para sua terceira temporada no volante da Toro Rosso, os mais jovens e aqueles com mais disposição para trabalhar a habilidade atlética se darão melhor.

 
Nos carros de corpo mais largo, mais downforce e muito mais velocidade nas curvas, Sainz Jr mostra muito otimismo quanto ao que o futuro e a nova realidade podem guardar para ele. Sainz é atleta, até se preparou junto com o triatleta olímpico Mario Mola para a atual temporada.
 
"Fisicamente, analisando as curvas de alta velocidade e tempos de volta que faremos no ano que vem, o corpo humano vai voltar a ser uma limitação, como era em 2004 e 2005. Eu posso me beneficiar por ser um cara disposto a fazer força durante as férias para me certificar de que estou em forma para tanto", disse.
 
"Estou confiante porque sei que todas as vezes em que eu cheguei a uma categoria, era mais forte. Então, no próximo ano, estamos entrando em outra categoria e espero que eu esteja em condições de capitalizar", declarou.
Carlos Sainz Jr. (Foto: Peter Fox/Getty Images)
Mas mesmo na realidade virtual a F1 vai se rendendo ao talento do espanhol. Preterido de uma vaga na Red Bull, no evento da saída do agora companheiro batido Daniil Kvyat, pela promoção de Max Verstappen, Sainz faz uma temporada muito boa. É o 11º colocado no Mundial de Pilotos – algo que põe na conta da melhora na confiabilidade dos carros da equipe de Faenza. Em 2016, teve apenas dois abandonos até agora; um ano atrás, terminou o ano com sete.
 
"Sou um piloto melhor que eu era ano passado. Ano passado tinha definitivamente alguma coisa acontecendo com a confiabilidade. Eu sempre abandonava corridas e não conseguia encontrar uma boa plataforma para trabalhar em cima. Esse ano isso parou de acontecer e eu mostrei que, quando nada acontece, posso fazer provas bem fortes ao mesmo tempo que finais de semana com muita ação. Talvez isso que não estivesse acontecendo por conta de outros fatores que não eram ligados a mim", afirmou.
 
"Estou esperançoso. Na Alemanha estávamos andando com uma configuração de baixo downforce e ainda éramos os melhores do meio do grid nas curvas. Sei que a Toro Rosso pode produzir um bom chassi ano que vem e, se a Renault nos der potência como tem esse ano, pode ser proveitoso. Talvez eu esteja otimista demais, mas eu vou me preparar baseado no fato que eu vou lutar no top-8 ou 6 do grid", encerrou.
 
A F1 volta nesta semana para o GP da Bélgica. O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do final de semana, a partir da sexta-feira, AO VIVO e EM TEMPO REAL.
 
PADDOCK GP #42 RECEBE LUCAS DI GRASSI

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)<0?n+="px":n,cc.style.display="",s2.width=n,window.frameElement&&(s1.height=c2.offsetHeight+5+"px"),t=500,s1.width="100%"}rs(t)},200)}var c1=window.frameElement?window.frameElement:document.getElementById("crt_ftr"),c2=document.getElementById("crt_ftr"),s1=c1.style;s1.position="fixed",s1.bottom="-4px",s1.left="0px",window.frameElement&&(s1.height="0"),c2.style.textAlign="center",s1.zIndex="60000";var cc=document.getElementById("crt_cls"),s2=cc.parentNode.style;cc.onclick=function(){s1.display="none"};var t=0;rs(0);

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth < 970) ? 302357 : 302359;
document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube