Palmer reclama de falta de quilometragem e lamenta desempenho nos testes em Barcelona: “Foi um tanto desastroso”

Jolyon Palmer se mostrou bastante frustrado com a quilometragem obtida nos testes coletivos em Barcelona. O inglês explicou que, como novato, deverá sofrer na Austrália

A pré-temporada da F1, geralmente, é marcada por declarações positivas dos pilotos e altas expectativas. Nesta sexta-feira (4), porém, Jolyon Palmer foi na direção contrária, chamou suas duas semanas de testes em Barcelona de "desastrosas" e mostrou-se bastante preocupado com o próprio desempenho na abertura do campeonato na Austrália.
 
Palmer considerou suas duas semanas de testes em Barcelona como desastrosas e lembrou a dificuldade que terá sendo novato e com pouca quilometragem na Austrália.
 
"Foi um tanto desastroso. Eu não consegui passar de 200 voltas em três dias. Certamente não era isso que eu desejava sendo um novato e tendo de chegar em Melbourne fazendo um bom trabalho. Ao menos o ponto de saída do carro é razoável, vamos seguir trabalhando", disse.
 
O novato inglês reconheceu que, caso Kevin Magnussen tivesse feito tão poucas voltas também, a Renault estaria com um sério problema para a estreia na Austrália.
 
"O fato dele ter dado muito mais voltas do que eu foi bom, porque se a gente tivesse dado o mesmo número de voltas, estaríamos ferrados. Foi bom ele ter tido quatro dias sem problemas, claro que eu gostaria que o mesmo acontecesse comigo, mas a vida é assim", comentou.
Jolyon Palmer se mostrou bem desapontado com a quilometragem obtida em Barcelona (Foto: Getty Images)
O britânico admitiu que ficou decepcionado pela pouca quilometragem na Espanha, mas se colocou no lugar da Renault e comemorou as voltas de Magnussen.
 
"Foi um período bem duro e frustrante para mim, mas preciso ver pelo ponto de vista do time e foi ótimo ele ter completado um bom número de voltas, ajudou a equipe a ter uma visão melhor do carro", seguiu.
 
No último dia de testes em Barcelona, Palmer não passou de um oitavo lugar, virando 1min24s859, mais de 2s mais lento que o líder Sebastian Vettel.
 
VEJA A EDIÇÃO #18 DO PADDOCK GP, QUE TRAZ BATTISTUZZI, ABORDA F1, INDY E STOCK CAR

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube