F1

Perfeito na Hungria, Ricciardo passa Hamilton e Alonso no fim e volta a quebrar sequência da Mercedes. Massa é 5º

Mais uma vez, coube a Daniel Ricciardo a missão de quebrar o domínio da Mercedes na temporada 2014 da F1. Australiano bateu Lewis Hamilton e Fernando Alonso nas voltas finais e conquistou seu segundo triunfo na temporada
Warm Up, de Hungaroring / EVELYN GUIMARÃES, de Hungaroring / JULIANA TESSER, de São Paulo
 Daniel Ricciardo (Foto: Getty Images)
A cobertura completa do GP da Hungria no GRANDE PRÊMIO
As imagens do domingo da F1 em Hungaroring
icone_TV Automobilismo na TV: a programação do fim de semana

A F1 fechou a primeira parte da temporada 2014 neste domingo (27) com uma prova a altura de sua história. Disputado do começo ao fim, o GP da Hungria viu seu vencedor ser definido nos giros finais, com Fernando Alonso, Lewis Hamilton e Daniel Ricciardo brigando juntos com dez voltas para o fim.
 
Apesar da brilhante prova de recuperação de Hamilton, que largou dos pits após ter de trocar o chassi do W05 por conta das chamas que atingiram seu carro ainda na parte inicial do treino classificatório, o campeão de 2008 não foi páreo para Ricciardo, que passou Alonso na sequência para garantir seu segundo triunfo na temporada 2014, mais uma vez quebrando o domínio da Mercedes.
Pela segunda vez, Daniel Ricciardo encerrou o domínio da Mercedes na temporada 2014 da F1 (Foto: Mark Thompson/Getty Images)
Já na última volta, Hamilton fez o que pôde para passar Alonso e garantir o segundo posto, mas não conseguiu deixar o asturiano para trás, que guiou seguro para compensar a fragilidade da F14T e o desgaste de seus pneus.
 
Nico Rosberg exibiu um ritmo alucinante na parte final da corrida, logo após parar nos boxes para um novo conjunto de pneus. Mesmo obedecendo a ordem da Mercedes de imprimir ritmo de classificação, o germânico não conseguiu entrar na briga pelo pódio e ficou com a quarta colocação, 0s5 atrás do companheiro de equipe.
 
Depois de inúmeras decepções na temporada 2014, Felipe Massa fez uma boa exibição neste domingo. Largando na sexta colocação, o brasileiro fez uma boa estratégia e, com uma boa tocada, recebeu a bandeirada na quinta colocação, à frente de Kimi Räikkönen. O finlandês tentou pressionar até o fim, mas o piloto da Williams cruzou a linha de chegada com 1s6.
Hamilton brilhou em Hungaroring e dividiu o pódio com Ricciardo e Alonso (Foto: Mark Thompson/Getty Images)
Mesmo tendo largado na primeira fila, Sebastian Vettel não conseguiu contabilizar com sua posição inicial e recebeu a bandeirada na sétima colocação, à frente de Valtteri Bottas. 
 
Jean-Éric Vergne chegou a liderar a corrida, mas não conseguiu resistir aos pilotos mais rápidos e ficou com o nono posto, à frente de Jenson Button, que completa a lista dos dez primeiros. 

Com o resultado do GP da Hungria, Rosberg chegou aos 202 pontos, 11 a mais que Hamilton, o segundo colocado. Ricciardo tem o terceiro posto, com 71 pontos de atraso para o líder. Alonso aparece na sequência, seguido por Bottas, Vettel, Hülkenberg e Button. Massa chegou aos 40 pontos e aparece em nono, com Magnussen fechando a lista dos dez primeiros.
 
Confira como foi o GP da Hungria de F1 neste domingo
 
O GP da Hungria nem tinha começado e já ganhava contornos dramáticos. 45 minutos antes da largada, como bem avisou o sistema meteorológico das equipes, uma chuva forte desabou sobre o circuito de Mogyoród. A pista ficou bastante molhada, mas a tempestade cessou com pouco mais de 20 minutos para o início dos trabalhos húngaros da F1. Só que quando os carros começaram a rodar pelo traçado antes do alinhamento definido no grid, a dúvida, claro, era que pneu escolher, já que parte da pista estava molhada e parte já seca. No fim, todo mundo, inclusive Lewis Hamilton e Kevin Magnussen, que largaram dos pits, optaram pelos intermediários. Daniil Kvyat foi outro que precisou sair dos pits, depois que o motor de seu carro apagou no grid.
 
Quando as cinco luzes apagaram na reta de Hungaroring, o pole Nico Rosberg saiu muito bem da posição de honra, contornando com cuidado a primeira curva – a pista, ainda molhada, gerava um spray denso. Sebastian Vettel tentou fazer o mesmo, mas se vou superado por Valtteri Bottas, que ainda tentou tirar a liderança do alemão da Mercedes na saída da curva 1. Ficou em segundo, logo à frente de Vettel, que já lidava com os ataques de Fernando Alonso. Na verdade, o espanhol passou o tetracampeão na retinha depois da curva 1, mas tomou o troco ainda na primeira volta.
Fernando Alonso liderou a prova no fim, mas não conseguiu segurar Ricciardo (Foto: Ferrari)
Jenson Button se colocou bem em quinto, trazendo consigo Daniel Ricciardo, Nico Hülkenberg, Felipe Massa, que perdeu duas posições na largada, Jean-Éric Vergne e Sergio Pérez.  A primeira volta ainda viu uma escapada de Hamilton na curva 2. Pelo rádio, o inglês ainda reclamou dos freios, daí o incidente.
 
Enquanto isso, lá na frente, Rosberg já impunha 2s7 de vantagem para Bottas, que enfrentava a pressão de Vettel. Alonso observava dos dois à distância. Mais atrás, Kimi Räikkönen já pulava para 13ª posição depois de ter largado em 16º.
 
Na quarta volta, Hamilton alcançou Marcus Ericsson e não perdeu tempo. Aí foi engolindo na sequência Kevin Magnussen, Pastor Maldonado e Max Chilton, para se colocar em 17º. Enquanto isso, Esteban Gutiérrez, Romain Grosjean e Jules Bianchi faziam pequemos passeios por fora da pista.
 
Lewis continuava sua batalha para recuperar terreno e já saltava para 15º, ao passar Bianchi. Räikkönen também tentava escalar o pelotão o quanto podia. Até que na nona volta a corrida precisou ser paralisada, por causa de um acidente com Ericsson, que rodou quando perseguia Kamui Kobayashi e Max Chilton. O sueco ainda bateu com violência na barreira de proteção da curva 3, mas saiu do carro sem maiores problemas.
 
Por conta do incidente, o safety-car precisou ser chamado. Aí todo mundo aproveitou a bandeira amarela geral para ir aos boxes. E a maioria optou pelos pneus macios nos pit-stops, que ainda viram algumas confusões. Jenson Button saiu na área de troca de pneus sem grande cuidado e quase atingiu o carro da Toro Rosso. Um pouco antes, Gutiérrez e Pérez saíram lado a lado no pit-lane e levaram a disputa até a pista, com vantagem para o mexicano da Force India.
 
Quando finalmente todos pararam, a maluca ordem atrás do carro de segurança era: Ricciardo, Massa, Alonso, Vergne, Rosberg, Vettel, Hamilton, e Pérez. Bottas surgiu apenas em 11º e foi um dos que mais tiveram prejuízos com as paradas.
 
O SC deveria ter saído da pista na volta 11, mas Grosjean rodou também na curva 3, mas no lado oposto ao da batida de Ericsson. O francês da Lotus saiu ileso, e o safety-car deixou a pista duas passagens depois.
Líder do Mundial, Nico Rosberg ficou fora do pódio (Foto: Mercedes)
Na relargada, Button encostou em Ricciardo e passou o australiano. O mesmo fez Magnussen, ainda de intermediários, para cima de Rosberg, pulando para quarto. Mais atrás, Hamilton já era nono.
 
Aí o líder do campeonato tentou pegar Magnussen de novo, mas não teve sucesso e ainda tomou uma ultrapassagem de Vergne na sequência. Um pouco antes, o francês da Toro Rosso já havia superado Alonso. Mas o espanhol deu o trocou e foi passando Jean-Éric novamente. Na verdade, a briga toda envolvia ainda Rosberg, Vettel e Hamilton – os dois últimos ainda travariam um belo duelo nas voltas seguintes.
 
O giro de número 15 marcou o pit-stop de Button. Magnussen veio em seguida. Os dois mudaram finalmente para os médios. Aí Maldonado rodou na curva 1, depois de um contato com Bianchi, com quem já lutava desde o reinicio. Outro que vinha com problema era Hülkenberg, que teve de abandonar depois de um toque com o colega Sergio Pérez. É a primeira vez no ano que o alemão não consegue completar uma prova. Ele, inclusive, vinha pontuando em todas as etapas.
 
Lá na frente, Ricciardo tratava de abrir caminho e tinha quase 5s5 para Massa, que já sentia a aproximação de Alonso.  Mas a vantagem do líder foi em vão. Na 23ª passagem, Pérez rodou na saída da última curva em cima de muita sujeira da pista e bateu com violência no muro. O mexicano nada sofreu, mas o safety-car teve de trabalhar novamente. E, de novo, o pit-lane se viu movimentado. Durante a paralisação, Alonso e Ricciardo optaram pelos pneus macios. Já Bottas voltou de médios, Massa também. Por conta das paradas, a ordem da corrida mudou novamente.
 
O carro de segurança deixou o traçado na volta 26 com a seguinte formação: Alonso, Vergne, Rosberg, Vettel, Hamilton, Ricciardo, Massa, Gutiérrez, Räikkönen, Sutil, Kvyat, Button, Bottas, Magnussen, Chilton, Bianchi, Maldonado e Kobayashi.
 
Com pista livre, Alonso começou a abrir vantagem para Vergne e virar voltas rápidas. O gaulês da Toro Rosso, por sua vez, já se preocupava com Rosberg. Vettel fazia o mesmo com Hamilton, que tinha Ricciardo, Massa Räikkönen, Gutiérrez e Button logo atrás.
 
Aí Rosberg foi visitar os boxes, enquanto Hamilton já subia para segundo. Quase que ao mesmo tempo, Vettel rodava no meio da reta oposta. Mostrando grande habilidade, o alemão evitou uma panca maior com o muro e voltou para a corrida. Então, só para entender, levando em consideração os pits de Rosberg e o incidente com Seb, a ordem era: Alonso, Hamilton, Ricciardo, Massa, Räikkönen, Button, Sutil, Magnussen, Bottas e Rosberg.
Valtteri Bottas foi um dos mais prejudicados com os safety-cars (Foto: Glenn Dunbar/Williams)
Alonso, então, foi tentando se afastar de Hamilton, que tinha 4s para Ricciardo. Massa era o quarto, a 12s do espanhol da Ferrari, que acabou indo aos pits na 39ª passagem. Lewis passou, então, para a liderança. Fernando voltou à pista em quinto, atrás de Räikkönen.
 
Aí Lewis foi para os boxes e mudou para os pneus médios, voltando logo atrás do bicampeão da Ferrari, na quinta posição. Com isso, a primeira posição estava nas mãos de Ricciardo. Felipe vinha em segundo.
 
Dois giros depois, Räikkönen foi aos boxes, manteve os médios e voltou em oitavo, à frente de Vettel. Os dois chegaram a travar um interessante duelo nesse ponto da pista. No pelotão da frente, Rosberg tentava alcançar Hamilton. A briga era pelo quarto posto.
 
Enquanto as Mercedes duelavam — com Rosberg pedindo para Hamilton abrir caminho —, a Williams chamava Massa na 46ª passagem. O brasileiro também decidiu pelos pneus médios e retornou logo atrás de Räikkönen, em sexto.
 
Líder, Ricciardo parou na volta 55 e voltou voando com os macios, enquanto Alonso voltava para a liderança. Aí foi a vez de Rosberg ir aos pits. Também voltou com os pneus de risca amarela e em ritmo de classificação. O alemão retornou atrás de Massa e Räikkönen. Não teve problemas para superar ambos. E aí foi tratar de tirar a vantagem acima de 20s que tinha para Hamilton, o terceiro.
 
Enquanto isso, com dez voltas para o fim, Alonso tentava segurar Hamilton e Ricciardo, que já protagonizavam entre si uma batalha intensa, até que o australiano superou o inglês e foi atrás do espanhol. Não demorou nada, e Daniel pulou para frente. O bicampeão ainda segurou Hamilton até o fim, que deixou Rosberg em quarto. Felipe Massa fechou o GP húngaro em quinto, à frente de Räikkönen, Vettel, Bottas, Vergne e Button. Um GP que só faz ficar com vontade de ter outro amanhã.

Quer ter o prazer de guiar uma Ferrari e assistir ao GP da Itália em Monza?
Clique e saiba dos detalhes do pacote GRANDE PRÊMIO pelo e-mail
 
F1, GP da Hungria, Hungaroring, final:

1 3 DANIEL RICCIARDO AUS RED BULL RENAULT 1:53:05.508 70 voltas
2 14 FERNANDO ALONSO ESP FERRARI +5.225  
3 44 LEWIS HAMILTON ING MERCEDES +5.857  
4 6 NICO ROSBERG ALE MERCEDES +6.361  
5 19 FELIPE MASSA BRA WILLIAMS MERCEDES +29.841  
6 7 KIMI RÄIKKÖNEN FIN FERRARI +31.491  
7 1 SEBASTIAN VETTEL ALE RED BULL RENAULT +40.964  
8 77 VALTTERI BOTTAS FIN WILLIAMS MERCEDES +41.344  
9 25 JEAN-ÉRIC VERGNE FRA TORO ROSSO RENAULT +58.527  
10 22 JENSON BUTTON ING McLAREN MERCEDES +1:07.280  
11 99 ADRIAN SUTIL ALE SAUBER FERRARI +1:08.169  
12 20 KEVIN MAGNUSSEN DIN McLAREN MERCEDES +1:18.465  
13 13 PASTOR MALDONADO VEN LOTUS RENAULT +1:24.024  
14 26 DANIIL KVYAT RUS TORO ROSSO RENAULT +1 volta  
15 17 JULES BIANCHI FRA MARUSSIA FERRARI +1 volta  
16 4 MAX CHILTON ING MARUSSIA FERRARI +1 volta  
  21 ESTEBAN GUTIÉRREZ MEX SAUBER FERRARI +37 voltas NC
  10 KAMUI KOBAYASHI JAP CATERHAM RENAULT +45 voltas NC
  11 SERGIO PÉREZ MEX FORCE INDIA MERCEDES +47 voltas NC
  27 NICO HÜLKENBERG ALE FORCE INDIA MERCEDES +55 voltas NC
  8 ROMAIN GROSJEAN FRA LOTUS RENAULT +59 voltas NC
  9 MARCUS ERICSSON SUE CATERHAM RENAULT +62 voltas NC
               
MELHOR VOLTA NICO ROSBERG ALE MERCEDES 1:25.724 volta 64
               
RECORDE MICHAEL SCHUMACHER ALE FERRARI F2004 1:19.071 15/08/2004
MELHOR VOLTA MICHAEL SCHUMACHER FIN FERRARI F2004 1:19.071 15/08/2004

GRANDE PRÊMIO cobre 'in loco' o GP da Hungria, 11ª etapa do Mundial de F1, com a repórter Evelyn Guimarães. Para acompanhar todo o noticiário, clique aqui.