Perto do divórcio com Honda, Alonso mostra otimismo com novo motor e coloca Renault como “minha segunda família”

No fim de semana em que se despede dos motores Honda, Fernando Alonso lamentou a falta de resultados, mas avaliou que é hora da McLaren fazer uma mudança. Asturiano mostrou confiança com a parceria com a Renault e afirmou que a montadora francesa é como sua segunda família

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Depois de longos três anos, Fernando Alonso se despede neste fim de semana dos motores Honda. A montadora de Woking cedeu à pressão e decidiu não prolongar seu vínculo com a casa nipônica, fechando com a Renault a partir de 2018.
 
Às vésperas da prova final com a Honda, Alonso afirmou que era hora de a McLaren fazer uma mudança e apontou a performance da Red Bull como uma justificativa para seu otimismo em relação à Renault.
Fernando Alonso se mostrou otimista com a mudança para a Renault (Foto: AFP)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

“Acho que agora é um bom momento para mudar”, disse Alonso em uma coletiva de imprensa em Yas Marina nesta quinta-feira (23). “Eu, pessoalmente, tinha muitas expectativas para o projeto McLaren-Honda. Foi, provavelmente, a razão para eu ter mudado da Ferrari, pois a McLaren-Honda era uma parceria muito atraente depois do sucesso que tiveram no passado e etc.”, justificou. 
 
“Nós não atingimos os resultados que queríamos e nos últimos anos não tivemos a performance que esperávamos, então acho que agora é hora de uma mudança na McLaren e unir forças com a Renault”, defendeu. “Estou bem otimista pelo que a Red Bull está fazendo no momento com a unidade de potência da Renault. Claro, eles ainda estão sentindo falta de alguma coisa, mas, no geral, você luta por pódios, por vitórias, e esse é um cenário muito diferente do que temos no momento na McLaren, então, sem dúvida, estou otimista”, insistiu.
 
Bicampeão da F1 pela Renault, Alonso reconheceu que a parceria com a McLaren lhe deixa com um sentimento de volta para casa.
 
“Me sinto um pouco em casa [na Renault]. Voltando para aqueles que considero meus amigos, minha segunda família, então isso vai ser ótimo”, apontou. “Eles são muito, muito bons”, completou.

GRANDE PRÊMIO acompanha o GP de Abu Dhabi, a última etapa da temporada 2017 da F1, AO VIVO e em TEMPO REAL.  

“CHORAVA COMO UM BEBÊ”

FÉLIX DA COSTA REVELA TRISTEZA APÓS PERDER CHANCE NA F1

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube