“Sem guerra”: pilotos da F1 manifestam apoio à Ucrânia e pedem paz e liberdade

Reunidos no Bahrein, os pilotos posaram para uma foto vestindo uma camiseta da Associação dos Pilotos com uma flor nas cores da bandeira ucraniana e a inscrição “sem guerra”

FÓRMULA 1: VERSTAPPEN RENOVA COM RED BULL ATÉ 2028. O QUE ISSO SIGNIFICA?

Os pilotos da F1 aproveitaram o reencontro no Bahrein para os testes de pré-temporada para um protesto contra o conflito entre Rússia e Ucrânia. Reunidos em Sakhir, quase a totalidade do grid posou para uma foto em apoio aos ucranianos e pediu por “paz e liberdade”.

Há 15 dias, a Ucrânia tenta resistir à invasão russa a seu território. Apesar de o ocidente já ter aplicado inúmeras e cada vez mais duras sanções econômicas para tentar conter o exército de Vladimir Putin, a ofensiva militar fica cada vez mais violenta.

F1 chegou ao Bahrein com pedido de pilotos por paz (Foto: GPDA/Reprodução)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Segundo a ONU (Organização das Nações Unidas), mais de 2,1 milhões de pessoas já fugiram da Ucrânia. Na quarta-feira, bombas atingiram uma maternidade em Mariupol, no sudoeste do país, deixando ao menos 17 feridos, incluindo funcionários e parturientes. Desde o início da guerra, a OMS (Organização Mundial da Saúde) já contabilizou 18 ataques contra unidades de saúde.

Aproveitando o reencontro do grid da Fórmula 1 para os testes desta semana no Bahrein, a Associação dos Pilotos organizou um protesto que reuniu quase todo o grupo. Entre os titulares do grid de 2022, as únicas ausências foram as de Kevin Magnussen, que ainda não tinha sido anunciado pela Haas, e Lewis Hamilton, que postou nas redes sociais que se atrasou, mas manifestou apoio ao movimento e pediu doações para ajudar a população ucraniana.

Após a fotografia, os pilotos fizeram um post quase que simultâneo nas redes sociais, onde pediam em uníssono o fim da guerra. “Nós, os pilotos da Fórmula 1, estamos ao lado das pessoas na Ucrânia por paz e liberdade. Por favor, SEM GUERRA”, escreveram.

Originalmente, a Fórmula 1 contaria com a presença de Nikita Mazepin, mas o russo perdeu a vaga no grid na esteira do conflito. Apesar de a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) não ter barrado a participação de russos e ter apenas determinado que eles façam sob bandeira neutra, a Haas encerrou o acordo de patrocínio com a Uralkali e dispensou o piloto, que será substituído por Magnussen.

GRANDE PRÊMIO acompanha a cobertura da pré-temporada da Fórmula 1 no Bahrein AO VIVO e em TEMPO REAL. A análise acontece no Briefing assim que as atividades em pista acabarem.

A SINA DO PRIMEIRO VENCEDOR NA TEMPORADA DA FÓRMULA 1 (DESDE 2017)
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar