F1

Pirelli afirma que equipes de ponta “estão próximas” e mostra surpresa com tempos em Barcelona

Por trás dos cronogramas distintos e das voltas em ritmos opostos, a Pirelli nota desempenho próximo entre as três gigantes da F1, o trio Mercedes, Ferrari e Red Bull. A companhia italiana ficou feliz com a performance dos pneus na primeira semana, que lidaram bem com voltas mais rápidas do que o esperado

Grande Prêmio, de Barcelona / VITOR FAZIO, de Barcelona
A primeira semana de pré-temporada da Fórmula 1, encerrada na quinta-feira (21), trouxe informações valiosas para a Pirelli. A fábrica italiana terminou a sequência de atividades sem imprevistos no comportamento dos novos compostos de pneus e, além disso, com informações sobre a performance das escuderias. De acordo com Mario Isola, chefe de automobilismo da fábrica, o top-3 de equipes da Fórmula 1, composto por Mercedes, Ferrari e Red Bull, estão com desempenhos semelhantes ao longo das atividades.
 
Isola nota o padrão de voltas semelhantes nos cinco pneus diferentes disponibilizados pela Pirelli, do C1 ao C5. "As três equipes de ponta estão próximas. Ainda não sabemos se eles estão escondendo algo ou não. Olhando tempos de volta, eles parecem próximos", disse o dirigente em entrevista acompanhada pelo GRANDE PRÊMIO.
 
Mais do que 'dedar' o ritmo próximo das três gigantes, Isola também aponta que os tempos de volta estão inesperadamente baixos. Mesmo com mudanças de regulamento que simplificam a aerodinâmica, manobra que deveria facilitar ultrapassagens ao custo de carros mais lentos, o que se viu foi apenas um sutil acréscimo de décimos na comparação com a pré-temporada de 2018.
 
"Alguém reclamou dos níveis de aderência, mas é difícil entender isso. Se você olhar para os tempos de volta, eles estão em 1min17s5, algo assim", apontou. "Ano passado, o melhor tempo foi 1min16s7, se me lembro bem. Considerando que agora os carros tem 10 kg a mais de peso, com o peso mínimo subindo, isso representa 0s3. Existia a expectativa de uma queda de performance de 1s, 1s5 com o novo regulamento técnico. Não é o caso. A diferença de performance é de 0s5 no momento. A pole-position ano passado [no GP da Espanha] foi 1min16s1 em condições completamente diferentes. Sabemos que as equipes exigem mais do motor na classificação, então não estamos longe em termos de performance", destacou.
A Mercedes aparenta ter ritmo tão bom quanto o de Ferrari e Red Bull (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
Os bons tempos de volta são facilitados por um trabalho de pneus considerado positivo pela Pirelli. A fornecedora única da F1 ressalta que, apesar de desafios impostos por Barcelona e pelo clima, não há nada para se queixar.
 
"Uma boa semana de testes até aqui. Estamos coletando informações úteis. Nós temos alguns números que ainda precisamos confirmar, mas já temos uma ideia. Entre o C1 e o C2, considerando que o C1 nessas condições é um pouco duro demais e também está fazendo frio, temos uma média entre 0s8 e 1s [de diferença de ritmo por volta]. Se usarmos o C1 na corrida [GP da Espanha], esperamos que essa diferença seja menor. Entre o C2 e o C3, temos 0s7. Entre o C3 e o C4, 0s6, e o mesmo entre o C4 e o C5. A pista não é muito longa, então 0s7 é um bom número, considerando que esperávamos 0s8 e 0s9, que pode acontecer em uma pista mais longa. O C5 não é um composto para esse circuito, então sofreu um pouco para garantir uma volta realmente rápida. É difícil conseguir algo em uma volta com o C5 em Barcelona", contou.
 
"Considerando que o asfalto é mais abrasivo do que era ano passado, tivemos um pouco de graining. Isso aconteceu principalmente durante as manhãs, ainda mais no primeiro dia, quando a pista estava mais verde. O graining não é inesperado nessas condições. O dianteiro esquerdo é o mais afetado pelo graining e sabemos que as equipes trabalharam para reduzir isso. Não tivemos outros problemas, não tivemos nada de bolhas. Não podemos detalhar o desgaste porque ainda precisamos esperar a próxima sessão [segunda semana], quando as equipes vão focar mais em performance de pneus em simulações de corrida e assim por diante", encerrou.

GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ a pré-temporada da F1 em Barcelona com os repórteres Evelyn Guimarães, Vitor Fazio, Eric Calduch e o fotógrafo Xavi Bonilla. Acompanhe tudo aqui.

Assine aqui a Newsletter GP