Pirelli explica gama de pneus e admite “enorme desafio” em “desconhecido” GP de Las Vegas

Chefe da Pirell na F1, Mario Isola explicou alguns dos desafios que a fornecedora espera encontrar no GP de Las Vegas, que promete baixíssimas temperaturas em uma pista já sem aderência

A Fórmula 1 se prepara para encarar o retorno a Las Vegas no próximo fim de semana, e os pilotos não fizeram questão de esconder, a cada vez que foram questionados, que ainda não sabem o que esperar da 21ª etapa da temporada 2023. No entanto, a questão não se restringe aos competidores, e a Pirelli, na figura de Mario Isola — chefe da empresa na F1 —, também reconheceu que a pista americana reserva diversos pontos de interrogação em relação ao uso dos pneus.

“Será um enorme desafio técnico, tanto para as equipes quanto para nós”, admitiu Isola. “Vamos a essa corrida sem referências reais além das simulações. Ninguém realmente pilotou no circuito de 6 km da Las Vegas Strip antes”, destacou.

Relacionadas


“É um circuito que, caracterizado por três grandes retas e 17 curvas, perde apenas para Spa em termos de comprimento este ano”, explicou.

De uma forma geral, a corrida noturna americana prevê temperaturas extremamente baixas e um asfalto misto, que varia entre o tradicional piso de rua e algumas partes reasfaltadas especialmente para a corrida. Segundo ele, isso adiciona uma camada extra de imprevisibilidade ao espetáculo.

Pirelli prevê fortes desafios para os pneus em Las Vegas (Foto: JP Nascimento/Grande Prêmio)

“A superfície será uma mistura de asfalto tradicional de rua, especialmente na Strip, além de outras partes que foram completamente reasfaltadas para essa ocasião. Isso adiciona um novo elemento desconhecido”, pontuou.

“Não teremos nenhuma categoria de suporte, e a pista será aberta novamente ao tráfego por grandes porções do dia. Isso significa que a superfície não será emborrachada como normalmente para entregar uma aderência melhor”, disse.

As baixas temperaturas, por si só, já representam um problema para os pilotos no aquecimento dos pneus. Além disso, as enormes retas do circuito de Las Vegas ainda trarão uma dificuldade extra, já que isso aumenta o desafio de manter o calor nos compostos. Segundo ele, a experiência lembra um pouco o que geralmente acontece no GP do Azerbaijão, mas em um nível mais elevado.

Mario Isola, Pirelli, Fórmula 1
Em uma pista que já prevê menos aderência, Isola disse que as baixas temperaturas elevarão o desafio (Foto: Pirelli)

“Atingir altas velocidades será um ponto chave para ser competitivo. Todas as sessões serão noturnas, com ambiente e pista sofrendo com temperaturas anormais para um fim de semana de corrida. Serão mais similares ao que costumávamos encontrar na pré-temporada realizada na Europa”, apontou.

“As longas retas também farão com que seja difícil aquecer os pneus na classificação, além de mantê-los na janela certa. O mesmo desafio foi visto em Baku, mas provavelmente será mais acentuado em Las Vegas”, avaliou.

Por fim, Isola explicou a escolha dos pneus para a etapa americana e argumentou que a avaliação da Pirelli levou em consideração a necessidade de gerar o máximo possível de aderência. Segundo ele, as pressões utilizadas pelas equipes serão ainda menores do que em pistas tradicionalmente exigentes nas retas, também por causa das baixas temperaturas.

Combinação de baixas temperaturas e grandes retas vai dificultar o aquecimento (Foto: JP Nascimento/Grande Prêmio)

“Selecionamos os pneus mais macios para este fim de semana: C3, C4 e C5, o que deve garantir uma boa aderência. As pressões mínimas serão de 27 psi [libra por polegada quadrada] na frente e 24,5 atrás, devido às baixas temperaturas e ao desenho da pista”, explicou.

“Em condições frias, a diferença de pressão entre os pneus frios e as pressões normais de funcionamento é bastante reduzida. Quando o carro estiver se movendo, a pressão dos pneus vai aumentar muito menos do que em outros circuitos, devido à baixa temperatura do asfalto”, ressaltou.

“Como resultado, acreditamos que as pressões utilizadas estarão abaixo de outros circuitos exigentes nas retas, como Baku, por exemplo”, finalizou.

Fórmula 1 retorna neste fim de semana com o GP de Las Vegas, penúltima etapa da temporada, programado para acontecer entre os dias 17 e 19 de novembro. O GRANDE PRÊMIO faz a cobertura completa do evento.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.