Polícia prende manifestantes que invadiram Silverstone e estenderam faixa de protesto

Quatro manifestantes ligados ao grupo Extinction Rebellion (ou Rebelião ou Extinção, nome usado no Brasil), foram presos em Silverstone pela polícia local no último domingo. O grupo, que protestava pela causa ambientalista e também contra o racismo, estendeu uma faixa que pode ser vista na reta dos boxes

A polícia de Northamptonshire e o circuito de Silverstone informaram que, na tarde do último domingo (2), quatro pessoas foram presas pelas autoridades locais portando uma faixa do grupo ambientalista Extinction Rebellion (ou Rebelião ou Extinção, nome usado no Brasil). Os manifestantes entraram nas arquibancadas do circuito — situação proibida pelo governo britânico em razão das regras de distanciamento social impostas para assegurar maior distanciamento social e evitar o contágio pelo Covid-19 — e estenderam a faixa, que pode ser vista na transmissão durante a partida para a volta de apresentação antes da largada.

O grupo deixou uma faixa, de cor roxa, com a inscrição #ActNow (aja agora). Entretanto, o Extinction Rebellion garante que não tinha a intenção de invadir o circuito. “Em vez de interromper a corrida, os manifestantes decidiram enviar uma mensagem clara aos telespectadores: que o mundo está fora do rumo para impedir o colapso climático descontrolado, e a recuperação da pandemia é um momento crucial para mudar esse rumo”.

GP DA INGLATERRA; SILVERSTONE; REBELLION EXTINCTION;
Grupo Extinction Rebellion estendeu faixa que foi mostrada pela transmissão da F1 em Silverstone (Foto: Reprodução)

Donald Bell, ligado à Extinction Rebellion de Cambridge, na Inglaterra, disse que “hoje foi uma oportunidade para lembrar ao mundo que a crise climática e ecológica não desapareceu e está se intensificando todos os dias. Embora aplaudamos a Fórmula 1 por tomar as medidas ousadas e se comprometer com a proposta de zero carbono em 2030, essa liderança zomba da própria meta de 2050, dos governos da União Europeia e do Reino Unido. 2050 é tarde demais. Chegou a hora de os governos do mundo mostrarem alguma liderança própria”, bradou.

Segundo o comunicado emitido pela polícia local, “alguns dos quatro manifestantes usavam braçadeiras com a inscrição ‘Black Lives Matter [Vidas Pretas Importam, em tradução livre”, em solidariedade a Lewis Hamilton, único piloto preto da Fórmula 1, antes da corrida, como forma de protestar também contra o racismo.

Segundo o grupo, “a luta climática e o movimento antirracista estão profundamente conectados. É o racismo histórico e institucional que permitiu a destruição da saúde, da sobrevivência e dos ecossistemas das pessoas do Sul Global, com a crise climática afetando desproporcionalmente as pessoas de cor”.

A polícia local, por sua vez, diz que “está trabalhando em estreita colaboração com o circuito de Silverstone e conduz uma investigação completa” a respeito da invasão.

A Fórmula 1 segue em Silverstone para realizar a quinta etapa da temporada, o GP do Aniversário de 70 Anos da F1, neste fim de semana. O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo AO VIVO e em TEMPO REAL.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar