Por 0s030, Hamilton volta a bater Rosberg no segundo treino no Brasil. E Williams dá esperança de pódio a Massa

No primeiro dia de atividades de pista do GP do Brasil, Lewis Hamilton foi sempre mais rápido que Nico Rosberg, numa demonstração da sua força para a sequência do fim de semana. No segundo treino livre, na tarde desta sexta-feira, o tricampeão novamente bateu o rival, desta vez por meros 0s030. A boa surpresa foi a Williams, que andou à frente da Red Bull e da Ferrari, entrando na briga pelo pódio em São Paulo. Felipe Massa foi o quarto colocado

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Ao menos nesta sexta-feira (11) que abriu os trabalhos de pista do GP do Brasil de F1, Lewis Hamilton foi mais rápido que o rival Nico Rosberg. Precisando como nunca da vitória para levar a decisão do título da temporada 2016 para Abu Dhabi, dentro de duas semanas, o tricampeão do mundo voltou a andar à frente do seu companheiro de equipe. Depois de ver o alemão fechar a sessão da manhã em Interlagos apenas em terceiro, Lewis teve Rosberg mais próximo no segundo treino, com uma diferença entre os dois de apenas 0s030. Porém, em todo o tempo, mesmo com Nico fazendo boas voltas, Hamilton respondia com tempos ainda melhores, provando sua força perante o seu adversário na briga pela taça deste ano.

Trata-se de um bom impulso para o restante do fim de semana, sobretudo no aspecto mental. Mas, como dizem os pilotos, ainda é sexta-feira, e o que vale mesmo é no sábado, quando será realizado o treino classificatório, e a corrida propriamente dita, que acontece neste domingo.

Fica o destaque para o excelente desempenho da Williams nesta tarde. Valtteri Bottas e o dono da casa, Felipe Massa, andaram bem em toda a sessão e ficaram só atrás dos carros da Mercedes. Bottas terminou em terceiro, 0s490 em sua melhor volta com os pneus macios, enquanto Massa garantiu o quarto melhor tempo. Um resultado pra lá de alentador e que enche o brasileiro de esperanças de ver Felipe até mesmo no pódio.

Pèrguntado se torcia pela chuva logo após o treino, o brasileiro disse que está "torcendo por um bom resultado". "O que interessa é tentar fazer uma boa corrida, seja na chuva ou no seco". E falou que a pista estava "muito suja", além de perceber uma mudança nas zebras. "Foi um bom dia para a gente e temos de trabalhar e entender como será o fim de semana."

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

Lewis Hamilton foi o dono da sexta-feira em Interlagos (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

A Red Bull fechou o dia logo atrás da Williams, em quinto lugar com Daniel Ricciardo e sexto com Max Verstappen. Só depois veio a Ferrari, que colocou Sebastian Vettel em sétimo e Kimi Räikkönen logo atrás. Nico Hülkenberg, da Force India, foi o nono, enquanto Jenson Button fechou o top-10 com a McLaren. Seu companheiro de equipe, Fernando Alonso, encostou a MP4-31 na Curva do Sol depois de um problema no ERS e fechou a tabela de tempos em 11º. Felipe Nasr completou a sessão em 17º.

A F1 volta a acelerar em Interlagos neste sábado, a partir ds 11h (horário brasileiro de verão), com o terceiro treino livre. A sessão classificatória acontece às 14h. O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo 'in loco', AO VIVO e em TEMPO REAL.

Saiba como foi o segundo treino livre do GP do Brasil de F1

Diante de um calor de quase 30ºC, com os termômetros apontando 42ºC no asfalto, Kevin Magnussen foi o primeiro piloto a deixar os boxes no segundo treino livre. O dinamarquês, assim como Esteban Gutiérrez, da Haas, não treinaram pela manhã, dando lugar aos suplentes Sergey Sirotkin e Charles Leclerc. Mas as atenções estavam voltadas para a dupla da Mercedes, que ainda esperava pela vez de ir à pista.

Assim, boa parte dos pilotos começou os trabalhos avaliando os pneus duros, que pouco foram usados pela manhã — a prioridade das equipes foi avaliar os compostos médios e macios. No começo da sessão, quem se colocou na ponta da tabela de tempos foi Kimi Räikkönen, com uma Ferrari que foi imensamente discreta pela manhã, ficando apenas em nono e décimo no primeiro treino. Em seguida, era a vez de Vettel tomar a liderança do treino, mas apenas por alguns segundos.

Sebastian Vettel ocupou por alguns segundos a liderança do segundo treino (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

Em sua primeira volta rápida, Ricciardo subia para a ponta com 1min13s748, superando Vettel por 0s167. Mais atrás, Marcus Ericsson rodava com sua Sauber e retornava para os boxes. Massa também estava na pista para seu primeiro stint com pneus médios, assim como Felipe Nasr.

Para a Mercedes, era a "hora de brilhar", como a própria equipe escreveu em seu Twitter. Rosberg foi o primeiro a deixar os boxes para começar os trabalhos na pista, que já tinha mais de 50ºC de temperatura. Hamilton foi à pista em seguida. Mas antes de os carros da Mercedes marcarem tempos, Max Verstappen pulou para segundo, completando a momentânea dobradinha taurina.

A primeira participação da Mercedes no treino não foi das mais animadoras, já que Rosberg fez algumas voltas na sequência, mas não passou do quarto lugar, ficando atrás das duas Red Bull e da Ferrari de Vettel. Mesmo Hamilton, em sua primeira tentativa de volta rápida, foi muito lento, virando altos 1min29s572. Mas nem precisou de muito tempo para a realidade se fazer presente em Interlagos. Em sua sexta volta, Rosberg cravou 1min33s355. Só que o rival estava ainda mais rápido e bateu o alemão ao completar o giro em 1min13s157, 0s198 mais rápido que o companheiro de equipe, assumindo assim a liderança do segundo treino.

A impressão, a julgar pelo começo dos trabalhos da tarde em Interlagos e também considerando o resultado do treino livre da manhã, é que Hamilton se mostrava mais forte que Rosberg. Sempre que Nico conseguia fazer uma boa volta, Lewis respondia na mesma moeda, sempre sendo mais rápido que o alemão.

Lewis Hamilton no segundo treino livre do GP do Brasil (Foto: BBC/Twitter)

Mas era apenas o começo: restavam uma hora e cinco minutos de sessão, e os pilotos ainda teriam pela frente um longo período com os pneus macios. Das equipes de ponta, o primeiro a fazer uso dos compostos 'amarelos' foi Ricciardo, que não teve lá muitos problemas para assumir a ponta com 1min12s828. Em seguida, Räikkönen, também com os macios, subiu para segundo com 1min13s047. Os dois carros da Mercedes estavam nos boxes.

Ao longo da sessão, a direção de prova investigou um incidente envolvendo Räikkönen e Carlos Sainz Jr. O finlandês mudou bruscamente de trajetória para entrar no pit-lane em Interlagos e quase provocou uma forte batida. Assim, a ocorrência foi colocada para ser analisada pelos comissários depois da sessão.

Felipe Massa deixa os boxes na abertura do segundo treino livre (Foto: Williams/Twitter)

Alheio a tudo isso, o dono da festa no fim de semana voltava a sentir o gosto de estar na frente em Interlagos. Com uma volta muito boa, Massa registrava 1min12s789 e assumia a liderança da sessão, sendo 0s039 mais rápido que Ricciardo e também usando os pneus macios. Era mais uma amostra do bom desempenho da Williams, que foi muito bem com Valtteri Bottas pela manhã. O nórdico repetiu o bom desempenho com os compostos amarelos e bateu em seguida seu companheiro de equipe em 0s028.

Mas a alegria da Williams, que tinha uma inesperada dobradinha, acabou quando a Mercedes liberou seus dois carros com pneus macios. Em sua primeira volta com os novos pneus, Rosberg superou com facilidade a Williams e se colocou na frente com 1min12s301. Só que Hamilton nem deixou o alemão ver direito seu nome na ponta da tabela de tempos. Logo atrás, Lewis cravou 1min12s271, exatos 0s030 mais rápido que o rival, comprovando a melhor forma até agora no Brasil.

A fechada de Räikkönen sobre Sainz virou alvo de investigação dos comissários (Foto: Reprodução)

O grande desempenho da Mercedes não apagava a excelente forma da Williams, que se colocava como segunda força na primeira metade do segundo treino. Só depois é que vinham os carros da Red Bull, Ferrari, a Force India de Nico Hülkenberg em nono e a McLaren de Jenson Button fechando o top-10.

A Haas voltava a lidar com problemas nesta sexta-feira. Romain Grosjean se queixava de "algo errado" quando passava pelo S do Senna. Esteban Gutiérrez, de saída da equipe, não mostrava nada de animador, ficando em 20º, só à frente de Ericsson e Pascal Wehrlein. Felipe Nasr vinha em 17º.

Já na metade final do treino, Fernando Alonso, que vinha em 11º, enfrentou problemas em seu McLaren desde a reta dos boxes, ficou lento e encostou na área de escape na entrada da Curva do Sol. A cara do bicampeão depois de enfrentar mais uma quebra em Interlagos, repetindo 2015, não era das melhores. Foi uma falha no sistema de reaproveitamento de energia do motor Honda. Pouco depois, o espanhol voltou a virar 'meme' na F1 ao ser flagrado chutando uma pedrinha e, depois, quando ele sentou na cadeira do cameraman para acompanhar pela TV o fim da sessão, garantindo boas risadas.

Alonso vira meme de novo depois de ter problemas com sua McLaren nesta tarde em Interlagos (Foto: Reprodução)

Os minutos finais foram dedicados pelas equipes à avaliação dos carros em ritmo de corrida. Os tempos não foram batidos em razão da programação determinada pelos tiimes e também pela pista bastante quente, com a temperatura do asfalto em 51ºC. Assim, a Mercedes confirmava o bom começo de sexta-feira, sobretudo Hamilton, que se colocou em posição superior a Rosberg nos dois treinos livres. O bom destaque, que até pode ser considerado uma surpresa, foi a grande performance da Williams, superando os carros da Red Bull e Ferrari nesta tarde em Interlagos.

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

F1 2016, GP do Brasil, Interlagos, Treino Livre 2:

1 44 LEWIS HAMILTON ING MERCEDES   1:12.271   41
2 6 NICO ROSBERG ALE MERCEDES   1:12.301 +0.030 40
3 77 VALTTERI BOTTAS FIN WILLIAMS MERCEDES   1:12.761 +0.490 47
4 19 FELIPE MASSA BRA WILLIAMS MERCEDES   1:12.789 +0.518 43
5 3 DANIEL RICCIARDO AUS RED BULL TAG HEUER   1:12.828 +0.557 43
6 33 MAX VERSTAPPEN HOL RED BULL TAG HEUER   1:12.928 +0.657 45
7 5 SEBASTIAN VETTEL ALE FERRARI   1:13.002 +0.731 45
8 7 KIMI RÄIKKÖNEN FIN FERRARI   1:13.047 +0.776 24
9 27 NICO HÜLKENBERG ALE FORCE INDIA MERCEDES   1:13.299 +1.028 42
10 22 JENSON BUTTON ING McLAREN HONDA   1:13.440 +1.169 19
11 14 FERNANDO ALONSO ESP McLAREN HONDA   1:13.572 +1.301 18
12 26 DANIIL KVYAT RUS TORO ROSSO FERRARI   1:13.689 +1.418 46
13 55 CARLOS SAINZ JR. ESP TORO ROSSO FERRARI   1:13.801 +1.530 47
14 11 SERGIO PÉREZ MEX FORCE INDIA MERCEDES   1:13.918 +1.647 38
15 8 ROMAIN GROSJEAN FRA HAAS FERRARI   1:14.074 +1.803 35
16 20 KEVIN MAGNUSSEN DIN RENAULT   1:14.109 +1.838 47
17 12 FELIPE NASR BRA SAUBER FERRARI   1:14.309 +2.038 40
18 31 ESTEBAN OCON FRA MANOR MERCEDES   1:14.317 +2.046 46
19 30 JOLYON PALMER ING RENAULT   1:14.436 +2.165 43
20 21 ESTEBAN GUTIÉRREZ MEX HAAS FERRARI   1:14.558 +2.287 42
21 9 MARCUS ERICSSON SUE SAUBER FERRARI   1:14.695 +2.424 21
22 94 PASCAL WEHRLEIN ALE MANOR MERCEDES   1:16.032 +3.761 22

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube