Por coronavírus, China tenta trocar data com Rússia e realizar etapa em setembro

O GP da China pode ter nova data na temporada 2020 da Fórmula 1. Preocupados com os crescentes casos de coronavírus, os organizadores da prova estudam trocar a data da etapa com o GP da Rússia, indo de abril para setembro

A Fórmula 1 tem se mostrado bastante preocupada com a situação do coronavírus na China. Os organizadores da prova chinesa estão trabalhando para trocar a data da prova com o GP da Rússia.
 
A corrida asiática está marcada para acontecer em abril. Enquanto isso, a disputa está agendada para acontecer no final de setembro, o que daria tempo para os promotores ganhassem tempo em relação ao vírus que já foi considerado Emergência de Saúde Pública global pela Organização Mundial de Saúde.
 
Caso a troca de datas acontecesse, o GP da China seria o 17º do calendário da F1, ficando entre as provas em Singapura e Japão, na perna asiática, sem voltar mais para a Europa e antes de ir para a América.
Daniil Kvyat (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
Desde o início a FIA informou que está acompanhando os casos de coronavírus, e em um primeiro momento afirmou que os calendários seguiriam intocados.
 
Entretanto, a Fórmula E já externou sua preocupação e divulgou, no final de semana, que optou por adiar o eP de Sanya, programado para acontecer em março. Em um primeiro momento, a categoria estuda uma nova data, mas não o cancelamento.
 
Na Rússia, apenas dois casos de coronavírus foram confirmados, contra mais de 17 mil na China. Entretanto, a Federação de Automobilismo da Rússia afirmou que não recebeu uma proposta formal para a troca de datas por parte da organização chinesa.
 

Paddockast #46
OS 10 MELHORES PILOTOS DA DÉCADA

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar