Prévia: F1 retorna das férias na espera de ‘mais do mesmo’ em Spa-Francorchamps

A F1 retoma a temporada 2016 neste fim de semana na Bélgica. No entanto, não espere que a pausa de quatro semanas possa proporcionar uma grande mexida no grid, pelo contrário. A disputa pela vitória seguirá entre Lewis Hamilton e Nico Rosberg. Dificilmente uma equipe dará um grande salto de qualidade nas provas que restam, uma vez que o foco já está no desenvolvimento dos novos carros para 2017

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Depois de quatro semanas, a F1 enfim está de volta. O GP da Bélgica representa o ponto de partida para a segunda parte da temporada, compreendendo a primeira das nove corridas restantes para o desfecho deste campeonato que tem novamente as cores prateadas, tanto no Mundial de Pilotos como no de Construtores. Ninguém em sã consciência acredita numa virada brusca na ordem de forças da F1, de modo que a briga mesmo pela taça ficará restrita a Lewis Hamilton e Nico Rosberg, com amplo favoritismo para o britânico, mais competente e em melhor forma em relação a seu companheiro de uma Mercedes dominante em 2016.
 
Portanto, não espere, fã da F1, resultados imprevisíveis neste fim de semana. Apesar de Spa-Francorchamps proporcionar muitas corridas boas, muitas delas em razão do clima sempre incerto na região de Liège, a previsão para o fim de semana é de muito sol e calor, sem possibilidade de chuva. Algo que, se confirmar, só vai fazer com que a prova se torne mais previsível e, teoricamente, tem tudo para ser uma corrida com a cara da Mercedes.
 
Foi em Spa-Francorchamps que, em 2014, Hamilton e Rosberg se tocaram na Les Combes na primeira volta daquela prova, fazendo explodir a rivalidade entre a dupla e deixando a vitória no colo de Daniel Ricciardo. Naquele ano, era Rosberg quem liderava o campeonato com uma folga de 29 pontos para o rival, que hoje comanda o Mundial de Pilotos com 19 à frente. Claro que, diante do puxão de orelhas público da Mercedes depois das polêmicas batidas em Barcelona e Spielberg, dificilmente outro incidente do tipo vai se repetir tão cedo.
 
No ano passado, por exemplo, Hamilton dominou o fim de semana, cravou a pole com ampla folga — 1min47s197 contra 1min47s655 de Rosberg — e venceu praticamente de ponta a ponta, sem dar chances para o rival, em condições climáticas semelhantes às previstas para o fim de semana. Com tanta desvantagem perante o tricampeão, resta a Nico vencer ou se ver cada vez mais distante de um título cujas chances eram enormes no começo do ano, mas agora ruíram como um castelo de areia.

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);

Hamilton brilhou em Spa-Francorchamps no ano passado e tem tudo para repetir a dose em 2016 (Foto: AP)
Neste tempo de folga, os pilotos tiveram tempo para refletir sobre o que fizeram nesta primeira parte do campeonato. Alguns deles precisavam desta pausa mais que providencial. Rosberg deixou Hockenheim arrasado pela forma como perdeu a chance real de vencer sair de férias por cima, com alguma moral para retomar a disputa pelo título. Felipe Massa ampliou para quatro sua série de corridas fora dos pontos, algo que não acontecia desde o começo de 2009. E Daniil Kvyat precisa, mais do que nunca, de se reinventar se quiser continuar na Toro Rosso e na própria F1 como um todo.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A Ferrari também encarou as férias como um período de reflexão. Depois de começar a temporada sonhando em derrotar a Mercedes, tudo o que a escuderia de Maranello conseguiu foi ser batida pela Red Bull, hoje a vice-líder, com justiça, do Mundial de Construtores. Maurizio Arrivabene adota o tom repetitivo de que não vai desistir do título, mas nesta altura do campeonato terminar ao menos à frente dos taurinos é uma questão de honra. Só que a equipe, como praticamente todas as outras do grid, chega a esta fase do campeonato com o foco quase que todo voltado para 2017.

 
Poucos times vão investir muito em atualizações nos carros deste ano. A Sauber é uma delas, já que tem como meta somar alguns pontos para superar a Manor e deixar a incômoda lanterna do Mundial de Construtores. A Williams, em queda livre e com apenas seis pontos nas últimas quatro corridas, precisa urgentemente de uma reação, sob o risco de fechar 2016 atrás até mesmo da Force India. Esta, por sua vez, vai tentar um último esforço para garantir um incrível quarto lugar, que seria seu melhor resultado na história .
 
Na luta entre Ferrari x Red Bull, a escuderia vermelha tem uma carta na manga, e não se trata nem de Sebastian Vettel e tampouco do motor, que só deverá ser atualizado para o fim de semana do GP da Itália. Kimi Räikkönen é o ‘rei de Spa-Francorchamps’ e maior vencedor do GP da Bélgica entre os pilotos em atividade. O finlandês, que está em boa fase quando se compara seu desempenho com o de Vettel, pode pesar em favor da Ferrari na batalha contra os taurinos. Em um circuito de alta como Spa, o forte motor também pode ajudar e colocar o time italiano em vantagem. 
'Rei de Spa', Räikkönen é o trunfo da Ferrari contra a Red Bull neste fim de semana (Foto: Ferrari)
Mas a Red Bull pode jogar duro: tem o melhor chassi do grid — ao lado da Mercedes — e também tem na dupla formada por Daniel Ricciardo e Max Verstappen uma das combinações mais fortes de todo o grid. O time austríaco também está trabalhando no projeto de 2017, mas centra seus últimos esforços para se manter à frente da Ferrari e coroar uma temporada marcada por uma reação brilhante.
 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Quanto à Williams, a expectativa de Felipe Massa é de viver um bom fim de semana. Para o brasileiro, o fundamental é voltar a pontuar. Em um momento muito importante do campeonato, de definição das vagas para 2017, bons resultados são fundamentais. Como é fundamental para a própria equipe, que sofreria um duro revés se fosse superada pela Force India

 
Já o time de Silverstone não tem nada a perder. Parece pouco provável, apesar da ascensão da McLaren, que a Force India perca a quinta posição no Mundial. Outro ponto em favor dos anglo-indianos é o excelente retrospecto em Spa-Francorchamps. Em 2009, Giancarlo Fisichella marcou a primeira pole e o primeiro pódio do time. Ano passado, Sergio Pérez ficou perto do pódio. De modo que ao menos um top-5 é bastante razoável neste fim de semana.
Esteban Ocon é o reforço da Manor nesta fase final da temporada 2016 (Foto: Getty Images)
Vale destacar também a expectativa em torno da estreia de Esteban Ocon como piloto da Manor. Substituto de Rio Haryanto, o promissor francês terá as últimas nove corridas do ano para ganhar quilometragem e experiência a bordo de um F1. Esperar que Esteban, por mais talentoso que seja, possa superar Wehrlein, é demais, mas as próximas provas vão servir para que ele ao menos possa se fortalecer visando a próxima temporada, quando poderá seguir na Manor ou mesmo ganhar uma chance em outro time, como a Renault, que já deixou claro que quer muito contar com um grande talento e potencial campeão em um dos seus carros.
 
 
Supermacios estreiam em Spa-Francorchamps
 
Pela primeira vez desde que passou a adotar o uso dos pneus supermacios, a Pirelli vai levá-los para Spa-Francorchamps. A fornecedora italiana também vai levar para a Bélgica os compostos macios e médios, usados no ano passado.
 
A Ferrari optou pela escolha mais agressiva dentre as equipes de ponta. Tanto Vettel como Räikkönen vão usar apenas um jogo de pneus médios, além de cinco de macios e sete de supermacios. A Mercedes escolheu uma configuração mais conservadora e distinta entre seus pilotos: Hamilton vai levar três jogos de pneus médios para Spa-Francorchamps, com seis de macios e quatro de supermacios. Rosberg também vai levar quatro supermacios, com cinco de macios e quatro de pneus médios.
Com futuro indefinido, Massa precisa urgentemente de um bom resultado nesta fase final da temporada (Foto: Williams/Twitter)
A Red Bull vai com outra escolha distinta de Ferrari e Mercedes: Ricciardo e Verstappen vão com quatro jogos de médios, apenas três de macios e seis de supermacios. Escolha parecida fez a Williams. Massa e Valtteri Bottas optaram pela mesma combinação com três jogos de pneus médios, outros três de macios e sete de supermacios.
 
Segundo Pat Symonds, diretor-técnico da Williams, a expectativa é que, considerando o calor que deve fazer em Spa-Francorchamps neste fim de semana — com a temperatura ambiente passando dos 30ºC —, a melhor estratégia seja a de duas paradas. Vale lembrar, em 2015 Vettel arriscou ao tentar fazer a prova com apenas uma parada, mas viu o pneu traseiro estourar restando poucas voltas para o fim, perdendo a chance de ir ao pódio, que caiu no colo de Romain Grosjean.

Prognóstico do GRANDE PRÊMIO:

1 44 LEWIS HAMILTON ING MERCEDES
2 6 NICO ROSBERG ALE MERCEDES
3 7 KIMI RÄIKKÖNEN FIN FERRARI
4 3 DANIEL RICCIARDO AUS RED BULL TAG HEUER
5 27 NICO HÜLKENBERG ALE FORCE INDIA MERCEDES
 
PADDOCK GP #43 DEBATE INDY E MOTOGP E FAZ PRÉVIA DA F1

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube