carregando
F1

Promotoria de Munique decide levar a julgamento acusação de suborno contra Ecclestone

A promotoria de Munique anunciou nesta quinta-feira (16) que a acusação de suborno contra Bernie Ecclestone será levada a julgamento. O chefe da F1 é acusado de suborno ao banqueiro Gerhard Gribkowsky na venda das ações da F1

Warm Up / Redação GP, de São Paulo

Bernie Ecclestone não conseguiu escapar do julgamento no caso da venda das ações da F1. Nesta quinta-feira (16), a promotoria de Munique anunciou que o britânico será julgado na Alemanha por conta das acusações de suborno ao banqueiro Gerhard Gribkowsky.
 
Ecclestone e seu fundo familiar Bambino são acusados de pagar em 2006 US$ 44 milhões (cerca de R$ 105,2 milhões) para Gribkowsky, um ex-diretor do banco alemão BayernLB, que tinha uma fatia de 47,2% das ações da F1. 
Ecclestone será julgado por caso de suborno (Foto: Getty Images)
O dirigente do Mundial nega que o valor tenha sido suborno e alega que Gribkowsky ameaçou dizer ao HM Revenue & Customs, um departamento do governo britânico responsável pela coleta de impostos, que Ecclestone controlava o fundo, exigindo os US$ 44 milhões por seu silêncio. 
 
Residente no Reino Unido, Bernie teria de pagar impostos sobre os US$ 4 bilhões (aproximadamente R$ 9,5 bilhões) do fundo se estivesse no controle. O dirigente, entretanto, nega veementemente essa acusação. Ecclestone afirma que pagou a Gribkowsky, pois sua falsa acusação resultaria em uma longa e dispendiosa investigação. 
 
O banqueiro foi preso após assumir que recebeu propina enquanto representava o banco alemão BayernLB.
 
Margarete Noetzel, porta-voz da promotoria de Munique, anunciou nesta manhã que o julgamento será realizado e é provável que seja iniciado no mês de abril.