Prost já vê Red Bull na briga com Mercedes em 2016 e pede que Renault siga exemplo: “Podemos fazer mais”

Alain Prost acredita no potencial da Renault e disse que a reação da Red Bull no Mundial deve servir de motivação extra para a fabricante. Também entusiasmado com a performance da equipe austríaca neste ano, o francês de 61 anos acha que os energéticos têm, sim, uma chance concreta de enfrentar a Mercedes pelo campeonato

A reação da Red Bull na F1 deve também servir de motivação extra para que a Renault também volte a ter sucesso no Mundial. A frase é de Alain Prost, embaixador da marca francesa. 
 
A equipe austríaca conquistou uma vitória depois de dois anos e meio, na Espanha no mês passado, e se mostrou uma forte concorrente para a poderosa Mercedes no GP de Mônaco, realizado há quase duas semanas. E isso também foi possível em grande parte à atualização do motor feita pela montadora gaulesa.
 
Por outro lado, a equipe de fábrica da Renault vem enfrentando dificuldades com o desempenho neste retorno ao Mundial e só somou seis pontos até o momento. Por isso, Prost acha que a fabricante deve agora aprender com a Red Bull. "Essa situação é muito positiva", disse o tetracampeão.
Alain Prost é o embaixador da Renault (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

"Somos uma equipe de fábrica, produzimos o motor e o chassi, por isso é uma competição dura, mas boa. Pelo menos, sabemos que o motor vai funcionar bem, pode ajudar a conseguir uma pole, por exemplo. É muito bom para a nossa imagem e para a Red Bull de qualquer forma", explicou.

 
"Mas também fornece uma visão agradável e serve de motivação para o futuro. É quase como se dissesse: 'Olha, isto está realmente funcionando, então acho que podemos fazer melhor'. Há muito trabalho pela frente, OK, mas sabemos que pode funcionar, então é positivo", completou o ex-piloto.
 
Restando ainda 15 corridas na temporada 2016, o francês de 61 anos sente que a Red Bull ainda pode superar a Ferrari e se tornar a principal rival da Mercedes na briga pelo campeonato, mesmo acreditando que os alemães seguem como favoritos. "Se você está muito atrás no jogo, então a resposta é não, mas se algo acontecer entre Lewis Hamilton e Nico Rosberg, então a coisa pode ser diferente."
 
"Agora se você está mais perto, então há realmente um jogo, e aí veremos quem pressiona mais. Eu estou impressionando com a performance da Red Bull. Agora, vamos ver se eles se aproximam mais. Além disso, não estão tão distantes da Mercedes e continuam melhorando", afirmou.
 
"Mas acho que a Mercedes não vai deixar passar. Eles são fortes o suficiente e podem lidar bem com a pressão, por isso não será fácil", concluiu Alain.
PADDOCK GP #32 DEBATE MotoGP, F1, INDY E STOCK CAR

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube