Red Bull se vê obrigada a voltar atrás e tenta negociar para ter motores da Renault em 2016, diz revista

A Red Bull e a Toro Rosso voltam atrás e tentam convencer a Renault a manter o acordo de fornecimento de motores até o fim de 2016. A informação é da revista inglesa 'Autosport' nesta sexta-feira (9)

Vendo o cerco se fechar, a Red Bull e a Toro Rosso estão agora negociando novamente com a Renault para o fornecimento de motores para a temporada 2016 da F1. A informação é da revista inglesa 'Autosport' nesta sexta-feira. 
 
Depois de mais um ano complicado em 2015 e marcado por um fraco rendimento das unidades francesas, a equipe austríaca havia decidido romper os lanços com a fabricante gaulesa — lanços esses que vinham de 2007. O time, então, foi bater na porta da Mercedes, mas a montadora alemã rejeitou a possibilidade de vínculo com a rival.

A Ferrari, diante desse cenário, sobrou como única alternativa, mas os italianos se mostraram relutantes e tinham como ideia fornecer a especificação 2015 aos austríacos. A manobra não deu certo e irritou a equipe.

Christian Horner (Foto: Mark Thompson/Getty Images)
Ainda, para ampliar a crise vivida pelos energéticos, a revista alemã 'Auto Motor und Sport', publicou que a esquadra de Maranello desistiu de um acordo com a Red Bull e se mostrou disposta a fechar contrato apenas com a Toro Rosso.
 
Por conta da situação, a esquadra dos energéticos vem ameaçando deixar o Mundial e vai tomar uma decisão sobre o futuro no fim de outubro. E a Renault atualmente está em um processo de compra da Lotus, porque deseja voltar a ter uma equipe própria na F1.
 
Chefe da Red Bull, Christian Horner afirmou que cabe a ele tentar convencer Dietrich Mateschitz, proprietário da marca austríaca, a permanecer no Mundial, especialmente devido aos esforços que estão sendo feitos nos bastidores para assegurar um acordo competitivo ao time em 2016.
 
A pressa da Red Bull se justifica por conta do atraso no desenvolvimento do carro, por isso, de acordo com a publicação inglesa, os austríacos estão abertos a tentar continuar o vínculo com a Renault. 
 
Também nesta sexta-feira, Bernie Ecclestone falou sobre a situação dos tetracampeões e afirmou que "tudo já está resolvido" e garantiu que o grid terá 22 carros na próxima temporada.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube