Red Bull sobra no primeiro treino livre em Cingapura, e Verstappen puxa dobradinha. Rosberg erra e bate

A Red Bull sobrou em Cingapura. Max Verstappen e Daniel Ricciardo foram os mais velozes no treino livre que abriu as atividades em Marina Bay nesta sexta-feira (16). Sebastian Vettel foi quem mais se aproximou e terminou em terceiro, mas a quase meio segundo dos líderes. Apagada, a Mercedes ainda viu Nico Rosberg bater. Felipe Massa foi o nono, enquanto Felipe Nasr terminou em 15º

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

window._ttf = window._ttf || [];
_ttf.push({
pid : 53280
,lang : “pt”
,slot : ‘.mhv-noticia .mhv-texto > div’
,format : “inread”
,minSlot : 1
,components : { mute: {delay :3}, skip: {delay :3} }
});

(function (d) {
var js, s = d.getElementsByTagName(‘script’)[0];
js = d.createElement(‘script’);
js.async = true;
js.src = ‘//cdn.teads.tv/media/format.js’;
s.parentNode.insertBefore(js, s);
})(window.document);
A Red Bull não foi só a mais rápida em Cingapura. A equipe austríaca ainda sobrou no entardecer em Marina Bay nesta sexta-feira (16). Andando sempre com os ultramacios, a segunda força do grid no momento colocou seu pupilo na ponta da tabela de tempo. Max Verstappen cravou 1min45s823 na uma hora e meia de atividades, marca que foi apenas 0s049 mais rápida que a conquistada por Daniel Ricciardo. Quem mais se aproximou dos energéticos foi um antigo conhecido: Sebastian Vettel.

O ferrarista se colocou em terceiro, mas muito distante dos dois ponteiros. Também fazendo uso dos compostos mais macios do fim de semana, o tetracampeão ainda foi 0s464 mais lento que o jovem holandês.

A Mercedes apareceu somente em quarto com Lewis Hamilton e quinto com Nico Rosberg. A bicampeão andou com os pneus mais rápidos, mas foi com os médios que encontrou sua melhor performance. Rosberg ainda encerrou cedo sua participação depois de uma batida, depois de um erro. 

Entre os brasileiros, Felipe Massa foi o nono, enquanto Felipe Nasr terminou em 15º

Max Verstappen foi o mais veloz em Cingapura (Foto: Getty Images/ Red Bull Content Pool)

Confira como foi o primeiro treino livre da F1 em Cingapura

A F1 ganhou as ruas de Marina Bay já no entardecer desta sexta-feira (16). O sol ainda iluminava o sofisticado circuito urbano e ajudava a elevar as temperaturas, que ainda beiravam aos 30 graus. E quando o relógio marcou 17h em ponto, Romain Grosjean foi o primeiro a deixar os boxes com o carro da Haas. O francês foi seguido por diversos pilotos, entre eles os líderes do campeonato, os dois ferraristas e os dois pilotos da Renault. Só que as costumeiras voltas de instalação mal tiveram início, e Jenson Button logo surgiu lento na parte final do traçado. Pelo rádio, o inglês já alertava que não conseguiria voltar aos pits, mas recebeu a autorização da direção de prova para ter ajuda dos fiscais, que foram empurrando a defeituosa McLaren de volta às garagens.
 
Por conta do incidente com o campeão de 2009, a sessão passou cerca de cinco minutos sob bandeira amarela ou o chamado safety-car virtual. Quando as ações retornaram ao normal, a Mercedes logo mandou seus dois comandados à pista. E Lewis Hamilton surgiu com o Halo instalado no W07 #44 – a proteção de cockpit – pela primeira vez. 
Lewis Hamilton deixou os boxes com o Halo no carro em Cingapura (Foto: Reprodução/Twitter)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

A equipe alemã também enviou o inglês usando os compostos ultramacio – a versão mais rápida da Pirelli para o fim de semana. Além dos roxos, a fabricante também disponibilizou aos pilotos em Cingapura os pneus macios e supermacios. E foi interessante também ver nos primeiros minutos que os times optaram por explorar o traçado com os três tipos de compostos – algo pouco comum nas pistas mais tradicionais do calendário.

 
A primeira volta cronometrada foi feita por Nico Rosberg. Fazendo uso dos ultramacios, o alemão abriu a tabela de tempos com 1min47s936, mas foi logo superado por Hamilton, que passou a exatos 0s5 mais veloz que o companheiro de equipe na sequência – isso com o Halo no carro. Em seguida, a Ferrari colocou Kimi Räikkönen na pista também com os compostos de marca roxa. Valtteri Bottas, com a Williams, veio logo atrás. E puxou uma fila de carros.
 
Fernando Alonso, com a McLaren, e Nico Hülkenberg, da Force India, também foram os escolhidos para testar o Halo. Como prometido aos pilotos, a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) vem promovendo regularmente nesta segunda fase de temporada as simulações como forma de aperfeiçoar o recurso para a utilização no futuro.
 
Na sequência dos trabalhos, Rosberg tirou mais dois décimos da marca obtida pelo líder do campeonato e do treino. Räikkönen logo se colocou em terceiro, mas longe da Mercedes – 1s334 era a diferença. Sebastian Vettel posicionou a outra Ferrari em quarto, 0s4 atrás do finlandês. Max Verstappen, Esteban Gutiérrez, Daniel Ricciardo, Felipe Massa, Hülkenberg e Sergio Pérez completavam os dez primeiros.
Sebastian Vettel ainda deu um toquinho na mureta durante o TL1 (Foto: Reprodução/F1)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Só que, a partir dos 30 minutos de sessão, o cenário começou a mudar na tabela de tempos. E as performances de Ferrari e Red Bull deram sinais claros de que a Mercedes pode realmente reviver uma disputa mais acirrada em Marina Bay. Tudo começou quando Hamilton virou 1min47s369 — já sem o Halo. Mesmo batendo de leve no muro, Vettel cravou 1min47s375, apenas 0s006 mais lento que o tricampeão e se colocou em segundo. Max Verstappen veio na mesma balada, mas o jovem holandês foi ainda mais veloz que ambos ao assinalar 1min47s335, impondo uma diferença de 0s034, para liderar o treino.

 
Rosberg ainda vinha em quarto — 0s408 distante de Max. Räikkönen, Ricciardo, Sainz, Gutiérrez, Button – que conseguiu voltar à pista depois de uma falha no sistema de combustível —, e Hülkenberg fechavam o top-10. Felipe Nasr vinha em 13º, depois de um longo stint com um jogo de pneus ultramacios.
 
E foi diante dessa formação que a sessão atingiu os primeiros 40 minutos — fase em que os pilotos precisam devolver à Pirelli o primeiro conjunto de pneus usados no treino. 

Logo depois da pausa dos 40, Rosberg foi o primeiro a retornar à pista. Usando os pneus médios – a versão mais dura da Pirelli -, o alemão completou uma volta limpa e cravou 1min46s513, saltando para a ponta e ainda colocando 0s822 em cima do então líder Verstappen. A marca ainda foi 1s2 mais veloz do que o próprio tempo anterior de Nico feito com os pneus ultramacios, em tese, mais rápidos. Se o alemão optou pelos amarelos, outros preferiram sair com os supermacios. Foi o caso de Kevin Magnussen, Jolyon Palmer e Fernando Alonso. E o bicampeão da McLaren logo se colocou em sétimo, 1s8 atrás de Rosberg. 

Aí a Ferrari mandou Vettel de volta à pista e usando os ultramacios. Hamilton saiu logo atrás, mas calçado com os médios. O alemão então voou e passou na linha de chegada com 1min46s287 – 0s226 mais veloz que Rosberg. Quem também surgiu rápido foi Verstappen. Igualmente equipado com os compostos roxos, o holandês subiu para a ponta com 1min46s229. Hamilton, por sua vez, não conseguia acompanhar o ritmo. O inglês precisou de quatro voltas para se colocar em quarto, a 0s5 do líder da sessão e 0s1 melhor que o companheiro de Mercedes.
Max Verstappen durante o primeiro treino livre em Cingapura (Foto: Red Bull)
Mas ainda havia espaço para melhora. E quem deixou isso evidente foi Ricciardo. O australiano da Red Bull superou o colega de equipe em 0s357 e saltou para a liderança da sessão. Mas a briga ainda estava ganha. Verstappen voltou e, com pneus novos, cravou 1min45s823, passando 0s049 mais veloz que o companheiro de time. Vettel, Hamilton, Rosberg completavam os cinco melhores.
 
Enquanto isso, Carlos Sainz era o sexto com a Toro Rosso, logo à frente de Daniil Kvyat. Räikkönen vinha em oitavo, com Felipe Massa em nono. Esteban Gutiérrez era o décimo e único representante da Haas na sessão – Grosjean ficou estagnado nos boxes por conta de um problema técnico em seu carro. Nasr aparecia apenas em 18º.

E foi pouco depois da uma hora de sessão que a noite caiu sob o traçado de Marina Bay. Mas nem isso tirou a liderança de Verstappen, que seguia menos de um décimo à frente. Mais atrás, Nasr lutou para tirar quase 1s de sua Sauber. Usando os pneus ultramacios, o brasileiro saiu do fundo da tabela para alcançar o 15º posto.

A parte final da sessão foi marcada ainda por uma batida de Rosberg. O alemão perdeu o carro na freada da curva 18 e foi ao muro. O dano foi apenas na asa dianteira, mas nada que o atrapalhe. No fim, a Red Bull ficou mesmo na ponta, com Max Verstappen puxando a dobradinha.

A F1 volta logo mais, a partir das 10h30, com o segundo treino livre.

F1 2016, GP de Cingapura, Marina Bay, treino livre 1:

1 33 MAX VERSTAPPEN HOL RED BULL TAG HEUER   1:45.823   25
2 3 DANIEL RICCIARDO AUS RED BULL TAG HEUER   1:45.872 +0.049 27
3 5 SEBASTIAN VETTEL ALE FERRARI   1:46,287 +0.464 22
4 44 LEWIS HAMILTON ING MERCEDES   1:46.426 +0.603 24
5 6 NICO ROSBERG ALE MERCEDES   1:46.513 +0.690 22
6 7 KIMI RÄIKKÖNEN FIN FERRARI   1:46.890 +1.067 20
7 55 CARLOS SAINZ JR ESP TORO ROSSO FERRARI   1:46.936 +1.113 28
8 26 DANIIL KVYAT RUS TORO ROSSO FERRARI   1:47.683 +1.860 29
9 19 FELIPE MASSA BRA WILLIAMS MERCEDES   1:48.044 +2.221 27
10 21 ESTEBAN GUTIÉRREZ MEX HAAS FERRARI   1:48.109 +2.286 23
11 14 FERNANDO ALONSO ESP McLAREN HONDA   1:48.202 +2.379 21
12 11 SERGIO PÉREZ MEX FORCE INDIA MERCEDES   1:48.214 +2.391 28
13 27 NICO HÜLKENBERG ALE FORCE INDIA MERCEDES   1:48.359 +2.536 26
14 77 VALTTERI BOTTAS FIN WILLIAMS MERCEDES   1:48.453 +2.630 16
15 12 FELIPE NASR BRA SAUBER FERRARI   1:49.595 +3.772 20
16 22 JENSON BUTTON ING McLAREN HONDA   1:49.615 +3.792 27
17 30 JOLYON PALMER ING RENAULT   1:49.794 +3.971 29
18 20 KEVIN MAGNUSSEN DIN RENAULT   1:50.263 +4.440 23
19 94 PASCAL WEHRLEIN ALE MANOR MERCEDES   1:51.112 +5.289 16
20 9 MARCUS ERICSSON SUE SAUBER FERRARI   1:51.479 +5.656 33
21 31 ESTEBAN OCON FRA MANOR MERCEDES   1:52.037 +6.556 33
22 8 ROMAIN GROSJEAN FRA HAAS FERRARI       2
PADDOCK GP #46 TRAZ BOB KELLER E DEBATE VITÓRIAS DE FRAGA E PEDROSA

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube