Red Bull volta ao trabalho três semanas antes do início da temporada da Fórmula 1

A Red Bull anunciou nas redes sociais o fim das férias de 63 dias e a consequente volta ao trabalho nesta sexta-feira (12) em Milton Keynes. A equipe chefiada por Christian Horner agora se prepara para a abertura da Fórmula 1 2020, que vai ser em casa, no Red Bull Ring, em 5 de julho

Depois de uma longa primavera, junho se desenha como um mês intenso na preparação da Fórmula 1 para a abertura, finalmente, da temporada 2020. A principal categoria do automobilismo mundial, como todas as outras e o mundo em geral, teve de interromper os trabalhos por conta da pandemia do novo coronavírus. Agora, com a definição das oito primeiras etapas do calendário e o início do campeonato marcado para 5 de julho, na Áustria, as equipes retornam, pouco a pouco, do período obrigatório de 63 de férias. A última a fazê-lo, nesta sexta-feira (12), é a Red Bull.

A escuderia tetracampeã do mundo destacou o regresso ao trabalho com um vídeo publicado nas redes sociais nesta manhã. As imagens mostram as instalações em Milton Keynes, base da escuderia austríaca na Inglaterra.

O foco, a partir de agora, é justamente a prova que vai abrir o campeonato. O GP da Áustria é disputado na casa da escuderia taurina, o Red Bull Ring. Spielberg traz grandes lembranças recentes para a Red Bull, uma vez que foi lá, no ano passado, que Max Verstappen venceu a prova de maneira heroica depois de ter largado em sétimo e fazer grande ultrapassagem sobre Charles Leclerc na reta final da disputa.

Em entrevista à emissora alemã Sky Sports, Verstappen transpareceu um discurso bastante cauteloso sobre as expectativas da Red Bull para a temporada que se avizinha. Mas o holandês acredita que vai ser possível travar uma boa disputa com a equipe que vem dominando o Mundial desde 2014.

Verstappen venceu na casa da Red Bull em 2019, mas neste ano vai ficar desfalcado do ‘mar laranja’, a torcida holandesa nas arquibancadas (Foto: Red Bull Content Pool)

“Temos de esperar e ver o que vai acontecer no começo da temporada, levando em conta que não tivemos corridas nos últimos seis meses. Os carros vão ter evoluções, tenho certeza. Espero muito da Mercedes, mas também espero que estejamos perto deles”, comentou o dono de 102 GPs e 8 vitórias na F1.

A grande diferença, além dos carros, do GP da Áustria do ano passado para este ano é que em 2020 a prova não vai ter público para evitar o contágio pelo novo coronavírus. Assim, o espetáculo proporcionado pelo ‘mar laranja’ no ano passado no Red Bull Ring vai ficar somente na memória de Max.

“Vai ser completamente diferente não ter público, mas acho que só precisaremos de algumas voltas para voltar a recuperar o ritmo. Vivemos algo incrível no ano passado na Áustria, me motivou de maneira inacreditável, então é uma pena que tenhamos corridas sem público”, concluiu o piloto de 22 anos, cinco meses e 14 dias.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube