F1

Renault mais rápida, Mercedes com maior quilometragem e Williams na lanterna: os números dos testes da F1

A primeira semana de testes da F1 nos deixa com dados interessantes, apesar de alguns deles ainda não pintarem muito bem o panorama da temporada. Em termos de velocidade dos carros, os pneus usados camuflam desempenhos e colocam Nico Hülkenberg em uma inesperada primeira posição
Grande Prêmio, de Barcelona / VITOR FAZIO, de Barcelona
A primeira semana de testes da Fórmula 1 já terminou. Os quatro primeiros dias foram produtivos para equipes e pilotos, que acumularam dados importantes sobre os novos carros de 2019. Mesmo que ainda seja muito cedo para traçar conclusões concretas sobre a divisão de forças, consequência dos diferentes cronogramas em termos de pneus e quantidade de combustível, a nova temporada começa a ter um panorama mais claro.
 
Em termos de voltas rápidas, a situação é embaralhada pelos diferentes tipos de pneus. O líder foi Nico Hülkenberg, da Renault, seguido da dupla da Toro Rosso. A situação, todavia, não soa realista – os pilotos usaram pneus C5, o mais macio disponibilizado pela Pirelli em Barcelona. Lewis Hamilton, por sua vez, não foi além do C4. Sebastian Vettel e Charles Leclerc, com a aparentemente forte Ferrari, não saíram do C3, equivalente ao macio. O mesmo vale para a Red Bull, que ficou na metade de trás da tabela em termos de tempos.
Robert Kubica e a Williams, carro que menos andou até aqui (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)

1 N HÜLKENBERG Renault 1:17.393   C5
2 A ALBON Toro Rosso Honda 1:17.637 +0.244 C5
3 D KVYAT Toro Rosso Honda 1:17.704 +0.311 C5
4 K RÄIKKÖNEN Alfa Romeo Ferrari 1:17.762 +0.369 C5
5 D RICCIARDO Renault 1:17.785 +0.392 C5
6 V BOTTAS Mercedes 1:17.857 +0.464 C5
7 L HAMILTON Mercedes 1:17.977 +0.584 C4
8 C LECLERC Ferrari 1:18.046 +0.653 C3
9 S VETTEL Ferrari 1:18.161 +0.768 C3
10 L NORRIS McLaren Renault 1:18.431 +1.038 C4
11 A GIOVINAZZI Alfa Romeo Ferrari 1:18.511 +1.118 C3
12 C SAINZ JR McLaren Renault 1:18.558 +1.165 C4
13 R GROSJEAN Haas Ferrari 1:18.563 +1.170 C3
14 K MAGNUSSEN Haas Ferrari 1:18.720 +1.327 C3
15 P GASLY Red Bull Honda 1:18.780 +1.387 C3
16 M VERSTAPPEN Red Bull Honda 1:18.787 +1.394 C3
17 P FITTIPALDI Haas Ferrari 1:19.249 +1.856 C4
18 L STROLL Racing Point Mercedes 1:19.664 +2.271 C2
19 S PÉREZ Racing Point Mercedes 1:19.944 +2.551 C3
20 G RUSSELL Williams Mercedes 1:20.997 +3.604 C3
21 R KUBICA Williams Mercedes 1:21.542 +3.905 C2

Quando o assunto é quilometragem, a situação fica menos complexa. Mercedes e Ferrari sobraram como equipes com mais voltas somadas, com ambas girando na casa de 600 voltas. Nenhuma das duas teve problemas mecânicos significativos, conseguindo cumprir o planejamento inicialmente previsto. O piloto líder no quesito foi Lewis Hamilton, que alcançou o total de 307 giros em Barcelona, equivalente a 1.432 km.
 
No extremo oposto, sem surpresas, estavam George Russell e Robert Kubica. Os pilotos da Williams perderam dois dias e meio de atividades e, ainda por cima, não foram muito longe quando tinham carro para tal.

1 L HAMILTON Mercedes 307
2 V BOTTAS Mercedes 303
3 S VETTEL Ferrari 303
4 C LECLERC Ferrari 295
5 A ALBON Toro Rosso Honda 268
6 A GIOVINAZZI Alfa Romeo Ferrari 255
7 K RÄIKKÖNEN Alfa Romeo Ferrari 252
8 N HÜLKENBERG Renault 248
9 P GASLY Red Bull Honda 238
10 M VERSTAPPEN Red Bull Honda 237
11 L NORRIS McLaren Renault 236
12 D KVYAT Toro Rosso Honda 214
13 C SAINZ JR McLaren Renault 209
14 R GROSJEAN Haas Ferrari 198
15 D RICCIARDO Renault 186
16 L STROLL Racing Point Mercedes 151
17 K MAGNUSSEN Haas Ferrari 125
18 S PÉREZ Racing Point Mercedes 97
19 P FITTIPALDI Haas Ferrari 61
20 R KUBICA Williams Mercedes 48
21 G RUSSELL Williams Mercedes 40
 
1 MERCEDES Mercedes 610
2 FERRARI Ferrari 598
3 ALFA ROMEO Alfa Romeo Ferrari 507
4 TORO ROSSO Toro Rosso Honda 482
5 RED BULL Red Bull Honda 475
6 McLAREN McLaren Renault 445
7 RENAULT Renault 434
8 HAAS Haas Ferrari 384
9 RACING POINT Racing Point Mercedes 248
10 WILLIAMS Williams Mercedes 88

As voltas dadas por cada motor, por sua vez, parecem ir contra a lógica. A Mercedes, que desde 2014 aparece como a montadora mais confiável, é apenas terceira no ranking – e atrás até mesmo da Honda. A Ferrari nada de braçada no quesito. A situação tem explicação: a equipe alemã, apesar de andar muito nos testes, fornece unidades de potência para Racing Point e Williams, duas das que menos andaram até aqui.
 
1 FERRARI Ferrari 1489
2 HONDA Honda 957
3 MERCEDES Mercedes 946
4 RENAULT Renault 879

GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ a pré-temporada da F1 em Barcelona com os repórteres Evelyn Guimarães, Vitor Fazio, Eric Calduch e o fotógrafo Xavi Bonilla. Acompanhe tudo aqui.