Reserva da McLaren, Magnussen se vê aprendendo “uma enormidade” com Alonso e Button: “Os melhores da F1”

Suplente de Fernando Alonso e Jenson Button em 2015 depois de disputar a temporada passada como titular da McLaren, Kevin Magnussen procura ver o lado bom das coisas. E uma delas, na visão do dinamarquês, é o fato de poder estar lado a lado e aprender com dois campeões mundiais

Ainda sem saber sobre seu futuro na McLaren e na F1, Kevin Magnussen prefere ver o lado bom de ser reserva de Jenson Button e Fernando Alonso em 2015. Neste papel, o talentoso dinamarquês de 22 anos substituiu o espanhol, que se recuperava do acidente na pré-temporada em Barcelona, no fim de semana do GP da Austrália, embora sequer tivesse largado para disputar a prova. Mas depois da experiência frustrada em Melbourne, Magnussen tem procurado tirar proveito do convívio próximo com dois campeões mundiais e também os mais experientes do grid atual da F1.

Kevin não poupou elogios aos titulares Button e Alonso. Mais do que isso, o jovem piloto destacou o quanto tem aprendido com a dupla neste momento de revolução que a McLaren atravessa em seu novo casamento com a Honda.

“Uma enormidade”, declarou K-Mag ao site ‘GPUpdate.net’. “Em minha opinião, eles são os dois melhores pilotos da F1, e também os mais experientes atualmente, então há uma enormidade para aprender na maneira que eles trabalham com os engenheiros, com toda a equipe”, destacou.

Kevin Magnussen procura enxergar o lado bom de ser reserva de dois campeões mundiais de F1 (Foto: Getty Images)

“Obviamente também pela maneira que eles guiam. Eu sou um bom piloto, sei como guiar, mas há coisas para aprender aqui e ali, vendo os vídeos on-board, vendo as informações e analisando tudo isso. Mas, sobretudo na forma com que eles trabalham com a equipe e a maneira que eles trabalham no set-up do carro ao longo do fim de semana, isso é impressionante e bom para aprender”, complementou.

Fernando e Jenson têm grandes números na F1. Button fez sua estreia em 2000 pela Williams, já correu também por Benetton, Renault, BAR, Honda e pela McLaren, além pela passagem brilhante na Brawn GP, onde conquistou seu único título, em 2009. Ao todo, o britânico conquistou 15 vitórias, oito poles, oito voltas mais rápidas e 50 pódios em 274 GPs disputados.

Por sua vez, Alonso é um dos grandes da F1. O asturiano de Oviedo estreou um ano depois de Button, já disputou 243 GPs passando por Minardi, Renault, McLaren, novamente Renault, Ferrari, e agora cumpre sua segunda passagem pela McLaren. São 32 vitórias, 22 poles, 21 voltas mais rápidas e 97 pódios, sendo ainda o recordista de pontos, com 1.768.

Quanto a Magnussen, o piloto não perde a esperança de voltar ao grid na próxima temporada, ainda que seja por outro time. “Ainda estou com a equipe, ainda acredito em mim, e é por isso que eles têm contrato comigo. Eles querem me manter dentro, então isso é positivo. Espero que já no ano que vem eu esteja de volta como titular, se não aqui, então eu confio que a McLaren vá me guiar para outro lugar.”

“Estou razoavelmente feliz, não feliz por não estar corrido, mas com minha situação como um todo”, concluiu.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube