Rosberg mostra força da Mercedes, supera Hamilton por pouco e lidera terceiro treino livre do GP do México

A Mercedes dominou como quis o terceiro treino livre do GP do México. Sem tantos problemas de aderência no novo Hermanos Rodríguez, Nico Rosberg e Lewis Hamilton mostraram a força do time bicampeão do mundo. No fim das contas, melhor para o alemão, por meros 0s014 de vantagem. Felipe Massa foi o nono e Felipe Nasr, 16º

No treino livre mais curto do fim de semana do GP do México, a Mercedes deu mais uma amostra do seu enorme domínio perante as rivais do grid da F1 em 2015. Enquanto estiveram na pista, Lewis Hamilton e Nico Rosberg não tiveram dificuldades para impor o melhor ritmo tanto com os pneus médios como também com os macios. Assim, os carros prateados brilharam na manhã deste sábado (31) na Cidade do México e comandaram a ação no remodelado Autódromo Hermanos Rodríguez. No fim das contas, no confronto direto entre Lewis Hamilton e Nico Rosberg, melhor para o piloto alemão, que fechou a sessão com o melhor tempo ao registrar 1min21s083, colocando 0s014 de frente para o novo tricampeão do mundo.

Apesar de a Mercedes ser a grande força do grid, a sessão foi bastante equilibrada, mostram os tempos. Tanto que Daniel Ricciardo, terceiro colocado, ficou a apenas 0s118 do tempo estabelecido por Rosberg. Sebastian Vettel apareceu em quarto lugar com a Ferrari, enquanto Daniil Kvyat manteve o bom desempenho da Red Bull ao se colocar em quinto. Rei do fim de semana para a torcida mexicana, Sergio Pérez garantiu o sexto melhor tempo com a Force India, seguido por outro piloto empurrado por motor Mercedes, Valtteri Bottas, da Williams.

Carlos Sainz Jr., da Toro Rosso, mostrou o bom equilíbrio do STR10 e se garantiu em oitavo lugar, à frente do brasileiro Felipe Massa, que conseguiu liderar a sessão em seu começo. Nico Hülkenberg se posicionou em décimo numa sessão que teve nada menos que 12 pilotos no mesmo segundo. Felipe Nasr finalizou em 16º lugar.

Nico Rosberg à frente de Lewis Hamilton no estádio do Hermanos Rodríguez (Foto: Mercedes)

Saiba como foi o terceiro treino livre do GP do México de F1:

O treino livre mais curto do fim de semana era encarado por pilotos e equipes como crucial para as últimas avaliações do novo Hermanos Rodríguez antes do treino classificatório. Depois de uma sexta-feira muito complicada para os pilotos com a falta de aderência do renovado asfalto mexicano, a sessão de sábado começou com a pista úmida em decorrência de uma breve chuva que deu as caras horas antes da sessão na Cidade do México.

Desta forma, não havia tempo a perder. Sem previsão de chuva para as horas seguintes, os pilotos tinham de buscar a maior quilometragem possível, sobretudo por se tratar de uma pista nova para todos. E assim os competidores ganharam a pista sob os gritos de "Checo, Checo, Checo", todos na torcida pelo astro local Sergio Pérez, da Force India.

Usando pneus médios, Marcus Ericsson foi o primeiro piloto a marcar tempo neste sábado, mas Verstappen, estrela do primeiro treino livre no México, assumiu a liderança na sequência com 1min27s592. Liderança que foi assumida pouco depois pela Williams de Felipe Massa, que precisava mostrar um bom desempenho depois de uma sexta-feira bastante discreta e com muito sofrimento em razão da falta de aderência de "uma pista que não dá prazer", segundo disse o brasileiro.

Felipe Massa foi um dos protagonistas do começo do terceiro treino livre na Cidade do México (Foto: Williams F1)

Em seguida, foi a vez de Pérez comandar a tabela de tempos, para festa do público mexicano. 'Checo' anotou 1min35s360, mas em seguida foi superado por Massa. O que ficava claro é que, numa pista em que a velocidade final é a maior de todo o calendário, o motor Mercedes mais uma vez se mostrava como o melhor do grid. Ainda sem os carros do time de fábrica na pista, Felipe liderava com 1min23s803, seguido por Pérez e Nico Hülkenberg, a dupla da Force India. Chamava a atenção a presença de Fernando Alonso em quarto lugar.

Mas a pista ainda estava bem escorregadia, e quem observava tal situação era o próprio Pérez. Kimi Räikkönen, que ocupava o sexto lugar, parou na grama, mas não por rodada e sim devido a um problema no seu motor no setor 2, mas a sessão seguiu novamente seu curso.

E o treino continuava bem movimentado, com boas mudanças de posição. Hülkenberg tomava a ponta com 1min23s506, sendo seguido por Daniil Kvyat. Cabe salientar que o desempenho da Red Bull, desde sexta-feira, era excelente e com seus dois pilotos. Pérez vinha em terceiro, com Massa na sequência. Nasr aparecia em décimo lugar, mas os carros da Mercedes ainda não estavam na pista.

Kimi Räikkönen teve uma manhã de sábado frustrante no México (Foto: Ferrari)

O time bicampeão do mundo só apareceu alguns minutos depois. E logo de cara colocou Nico Rosberg em segundo lugar durante sua primeira volta rápida no novo Hermanos Rodríguez. O alemão só estava atrás de Kvyat, que assumia a liderança com um ótimo tempo de 1min22s955. Era mesmo gigante a performance da Red Bull.

Aí Bottas tomou o lugar de Rosberg para se colocar em segundo lugar quando restavam 36 minutos para o fim da sessão no México. O finlandês disse via rádio que a pista estava melhor do que na sexta, mas ainda estava muito lisa. Àquela altura do treino, apenas Hamilton não tinha marcado tempo no México.

Na sequência, Ricciardo tratou de completar a dobradinha da Red Bull ao se colocar na liderança com 1min22s909, apenas 0s046 mais rápido que o tempo de Kvyat. E falando em dobradinha, a Williams vinha logo atrás, com Bottas em terceiro e Massa em quarto colocado. Rosberg aparecia em quinto. Até que Hamilton finalmente deixou os boxes para completar suas primeiras voltas no sábado.

Mas Ricciardo, ao menos naquele momento, conseguiu não apenas se sustentar na liderança como melhorou sua volta ao registrar 1min22s502. Massa, com uma excelente volta, provava uma melhora no desempenho da Williams e vinha em segundo, à frente de Kvyat e Bottas, todos sempre com pneus médios. Hamilton vinha em oitavo, mas certamente tinha tudo para ganhar a ponta em breve.

O ótimo desempenho da Red Bull não impediu Kvyat de rodar durante o treino no México (Foto: Reprodução)

Mesmo pegando um tráfego intenso, Lewis foi capaz de fazer o segundo melhor tempo, a apenas 0s002 da marca de Ricciardo. O que significava que, com a pista limpa, a Mercedes, em teoria, iria sobrar perante Red Bull e Mercedes. A Ferrari vinha bem discreta com os pneus médios, mas com os pneus macios finalmente houve um brilhareco, com Sebastian Vettel cravando 1min21s871 com 33 minutos de treino já percorrido. Verstappen, também com os macios, subia para segundo.

Sem preocupação com os tempos de volta naquele momento, Rosberg, em terceiro, e Hamilton, em quinto, faziam simulações de classificação e corrida ainda com os pneus médios, prometendo então um melhor desempenho na fase final do treino com os pneus macios. E foi nesse cenário que Hamilton superou a marca de Vettel em 0s031 e assumiu a liderança com uma grande volta: 1min21s840. Sinal que havia muito mais por vir com os pneus macios. Ainda assim, Lewis se queixava de instabilidade na traseira do seu Mercedes W06 Hybrid.

Restando 15 minutos para o fim da sessão, a ordem da sessão era Hamilton, Vettel, Verstappen, Rosberg, Ricciardo, Massa, Kvyat, Bottas, Fernando Alonso e Hülkenberg, com Sergio Pérez em 11º e Felipe Nasr aparecendo em 14º. Mas a expectativa era de muitas mudanças na fase final do treino com a presença de vários pilotos na pista usando os pneus macios da Pirelli.

Hamilton seguia inabalável na frente, mas quem vinha atrás conseguia melhorar de forma razoável suas marcas: Ricciardo avançava para terceiro lugar e trazia consigo Kvyat. Vettel resistia em segundo, mas sua colocação logo mudaria com a grande volta estabelecida por Nico Rosberg, que cravou 1min21s205, liderando a dobradinha da dominante Mercedes. 

Em seguida, o alemão melhorou ainda mais e ficou perto de romper a barreira de 1min20s. Nico cravou 1min21s083, mas Hamilton seguia na pista com os pneus macios e tinha tudo para, ao menos, se aproximar da marca de seu companheiro de equipe. No fim, o tricampeão ficou perto e ameaçou, chegando a completar sua melhor volta com apenas 0s014 de desvantagem para o seu companheiro de equipe.

F1, GP do México, Autódromo Hermanos Rodríguez, terceiro treino livre: 

 
1 6 NICO ROSBERG ALE MERCEDES 1:21.083   23
2 44 LEWIS HAMILTON ING MERCEDES 1:21.097 +0.014 23
3 3 DANIEL RICCIARDO AUS RED BULL RENAULT 1:21.201 +0.118 21
4 5 SEBASTIAN VETTEL ALE FERRARI 1:21.294 +0.211 24
5 26 DANIIL KVYAT RUS RED BULL RENAULT 1:21.530 +0.447 27
6 11 SERGIO PÉREZ MEX FORCE INDIA MERCEDES 1:21.603 +0.520 27
7 77 VALTTERI BOTTAS FIN WILLIAMS MERCEDES 1:21.772 +0.689 26
8 55 CARLOS SAINZ JR ESP TORO ROSSO RENAULT 1:21.775 +0.692 28
9 19 FELIPE MASSA BRA WILLIAMS MERCEDES 1:21.945 +0.862 27
10 27 NICO HÜLKENBERG ALE FORCE INDIA MERCEDES 1:22.010 +0.927 25
11 33 MAX VERSTAPPEN HOL TORO ROSSO RENAULT 1:22.039 +0.956 31
12 13 PASTOR MALDONADO VEN LOTUS MERCEDES 1:22.042 +0.959 21
13 8 ROMAIN GROSJEAN FRA LOTUS MERCEDES 1:22.184 +1.101 24
14 9 MARCUS ERICSSON SUE SAUBER FERRARI 1:22.871 +1.788 30
15 14 FERNANDO ALONSO ESP McLAREN HONDA 1:23.065 +1.982 26
16 12 FELIPE NASR BRA SAUBER FERRARI 1:23.067 +1.984 23
17 7 KIMI RÄIKKÖNEN FIN FERRARI 1:24.648 +3.565 4
18 28 WILL STEVENS ING MANOR MARUSSIA FERRARI 1:25.654 +4.571 20
19 53 ALEXANDER ROSSI EUA MANOR MARUSSIA FERRARI 1:28.176 +7.093 8
20 22 JENSON BUTTON ING McLAREN HONDA 1:29.336 +8.253 4
    TEMPO 107% TL3   1:26.759 +5.676  
               
RECORDE NICO ROSBERG ALE MERCEDES F1 W06 HYBRID 1:21.083 31/10/15  


(function(d, s, id) { var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0]; if (d.getElementById(id)) return; js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = “//connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js#xfbml=1&version=v2.3”; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));

Por Aston Martin, Force India já aceita mudar nomehttp://grandepremio.uol.com.br/f1/noticias/mallya-se-diz-aberto-a-mudar-nome-da-equipe-com-possivel-acordo-com-aston-martin-force-india-atingiu-objetivo

Posted by Grande Prêmio on Sábado, 31 de outubro de 2015

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube