Satisfeito com teste, Ricciardo diz que Red Bull está “se esforçando muito” para melhorar até Austrália

Daniel Ricciardo terminou com o terceiro lugar geral na sessão de testes desta quinta-feira (19), em Barcelona, dando 59 voltas. Um bom dia, que parece colocar a Red Bull na curva de crescimento. Pelo menos para o piloto, isso é suficiente por ora

Daniel Ricciardo sabe que a Red Bull ainda não está nas melhores condições no começo da temporada, mas também não está frustrado. Por enquanto, o australiano está confiante de que o carro estará em boas condições de disputar as primeiras posições em sua corrida caseira, na abertura da temporada.
 
A sessão desta quinta-feira (19), primeiro dia de testes da pré-temporada da F1 em Barcelona, não foi ruim para Ricciardo, que terminou com a terceira colocação e 59 voltas dadas. Mas, para aqueles que esperavam uma Red Bull alinhada para brigar com a Mercedes, ainda parece muito pouco.
 
"Parece bom. Andamos um pouco hoje com compostos diferentes, então começando a ter um pouco mais de informação. Acho que estamos nos esforçando muito", disse.
 
"Você nunca sabe nos testes. Com certeza, ainda estamos acertando. Definitivamente não estamos onde queremos ainda com o motor e a facilidade de guiar e tudo mais. Mas ao mesmo tempo nós não esperamos estar lá ainda", avaliou. 
 
"Creio que sabíamos que levaria tempo. Estamos onde achamos que estaríamos. Talvez alguns outros estejam um pouco à frente agora. Acredito que em Melbourne estaremos lá", seguiu.
Daniel Ricciardo (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
Perguntado sobre se a equipe resolveu os problemas de motor que se apresentaram em Jerez, Daniel respondeu positivamente.
 
"Acho que o principal problema parece resolvido", afirmou. "Nós não fizemos 100 voltas, mas não tivemos de passar por alguma mudança de motor ou algo como o que aconteceu em Jerez. Estamos definitivamente fazendo progresso nessa frente", continuou.
 
E o piloto fez questão de reforçar que não se sente frustrado com o que o time dos energéticos vem mostrando. 
 
"Ainda é muito cedo para ficar frustrado, não estou frustrado. Acredito que os testes são um pouco frustrantes em geral. Eu só quero correr! Mas creio que até Melbourne estaremos lá. Então, se começarem as primeiras corridas e nós não estivermos, então talvez seja um pouco decepcionante", aceitou.
 
"Ainda estamos tentando encontrar os níveis de otimização, mas temos uma base muito boa. Essa manhã nós saímos e demos uma volta bem rápida no começo. Eu acredito que temos uma boa plataforma, assim como ano passado, para trabalhar conosco", concluiu.
 
Ricciardo volta ao cockpit da Red Bull nesta sexta-feira para o segundo dia de ação em Barcelona. O GRANDE PRÊMIO acompanha AO VIVO e EM TEMPO REAL com o repórter Renan do Couto e o fotógrafo Xavi Bonilla.
O ÚLTIMO RESPIRO

A derrota para Lewis Hamilton no campeonato de 2014 fez Nico Rosberg se mexer para encontrar formas de voltar mais forte em 2015 para conquistar o tão sonhado título da F1. E a preparação vai além de aspectos técnicos da pilotagem e dos carros: até a respiração foi alvo de treinamento por parte do alemão durante o inverno europeu. “Eu tentei melhorar já ao final do GP de Abu Dhabi, que foi porque eu realmente quis participar dos testes depois daquela corrida”, diz Nico ao ser perguntado pelo GRANDE PRÊMIO.

SÓ FALTA ANDAR

Com a nova filosofia do carro de F1 ‘size-zero’ e procurando uma forma de alcançar a Mercedes em busca de vitórias, a McLaren optou por arriscar no projeto do MP4-30. Até aqui, vem garantindo que está tudo bem. Mas falta andar pra valer, e é preciso mostrar evolução nos testes em Barcelona.

Leia a análise completa no GRANDE PRÊMIO.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube