F1

Sauber já chama atenção pela evolução e é equipe a ser temida na temporada 2019, dizem rivais

Sergio Pérez elogiou o trabalho de Fred Vasseur no comando da Sauber e considerou que a escuderia suíça é uma das equipes a ficar de olho em 2019. Carlos Sainz Jr. seguiu a linha do mexicano e considerou que o time de Kimi Räikkönen e Antonio Giovinazzi deve ser temido

Warm Up / Redação GP, de São Paulo
A melhora da Sauber já serviu para ligar o alerta na concorrência. Às vésperas do início da temporada 2019 da F1, os rivais já começam a indicar o time suíço como um rival a ser temido. 
 
A escuderia fundada por Peter Sauber viveu anos difíceis, mas engatou uma linha crescente desde que conseguiu o apoio da Alfa Romeo. Para 2019, o time vem ainda mais forte, já que volta a contar com os serviços de Kimi Räikkönen, que formará dupla com Antonio Giovinazzi.
 
Ex-Sauber, Sergio Pérez elogiou o trabalho liderado por Fred Vasseur e considerou que a concorrência tem de ficar de olho na equipe.
Antonio Giovinazzi vai debutar pela Sauber em 2019 (Foto: Sauber)
“A Sauber é uma grande equipe. Eles passaram por um período muito difícil de alguns anos, mas acho que agora, com a relação com a Ferrari, eles estão de volta”, avaliou Pérez. “Fred é um ótimo líder de equipe e acho que eles estão fazendo um grande progresso”, exaltou.
 
“Eles são, definitivamente, uma equipe em que temos de ficar de olho. No próximo ano, eles vão estar em alta”, avaliou. “Estou ansioso para isso”, comentou.
 
Em 2018, a Sauber somou 48 pontos no Mundial de Construtores, sua melhor campanha na era dos motores V6 turbo. No total, foram 15 visitas ao top-10, nove com Charles Leclerc e seis com Marcus Ericsson. 
 
Às vésperas da estreia pela McLaren, Carlos Sainz Jr. também listou a Sauber como rival para a temporada 2019.
 
“Nós todos deveríamos temê-los. Mas, no próximo ano, temos de temer todo mundo”, ponderou Sainz. “Você pensa na Sauber, mas aí você pensa na Force India com um pouco mais de orçamento, do que eles seriam capazes”, seguiu.
 
“Você pensa na Renault, no que eles são capazes de fazer. Você pensa na Haas, se eles vão continuar recebendo a quantidade de peças que estão recebendo da Ferrari”, lembrou. “Você pensa na McLaren com um projeto todo novo e querendo investir e voltar para a quarta colocação do campeonato depois de um ano difícil”, frisou.
 
“Você pensa em todos esses times, e pensam em todos que podem liderar a batalha no pelotão intermediário no próximo ano”, concluiu.