Sem OK da Fórmula 1, São Paulo diz que GP do Brasil “está confirmado” em 2020

Governador João Doria e prefeito Bruno Covas garantiram que a corrida será realizada, ainda que a Fórmula 1 não corrobore a informação. Organização do GP do Brasil aguarda resposta do Liberty Media há semanas

Enquanto a Fórmula 1 divulgou mais duas praças que receberão o campeonato de 2020, Mugello, na Itália, e Sóchi, na Rússia, o Brasil segue no aguardo. De acordo com governos estadual e municipal de São Paulo, em entrevista coletiva concedida na manhã desta sexta-feira (10), entretanto, a corrida será realizada. A categoria segue em silêncio e não confirma a informação.

O governador João Doria afirmou que o campeonato tem de cumprir o contrato com Interlagos, que dura até o fim deste ano. Precisa correr, entende.

“Para este ano está confirmada a Fórmula 1”, disse o governador. “O prefeito pode mencionar neste sentido, o autódromo preparado para receber a Fórmula 1, evidentemente dentro dos protocolos de saúde, e os organizadores já sabem. Nós temos um contrato em relação a este ano, o contrato tem que ser cumprido. Temos que deixar isso claro, de parte a parte. A nossa posição é que o contrato será cumprido”, afirmou.

O prefeito Bruno Covas usou de um tom mais apaziguador e defendeu que os números da cidade são diferentes daqueles do restante do Brasil.

“Estamos mostrando que os números da cidade não correspondem à realidade que a gente está vendo no Brasil como um todo, que são os números que acabam sendo divulgados no exterior e que deixaram a organização preocupada com a realização da prova. Esperamos que eles compreendam que aqui na cidade não há nenhum risco na realização da prova em novembro deste ano”, falou.

A organização do GP do Brasil aguarda há mais de um mês um posicionamento da Fórmula 1 sobre o destino da corrida neste ano. A data original da prova seria 15 de novembro, mas há um percalço a ser resolvido caso a categoria vislumbre a possibilidade de a corrida acontecer: por conta do coronavírus, as eleições municipais no país tiveram suas datas alteradas, e aquele domingo ficará reservado para o primeiro turno. Assim, a etapa só poderia acontecer em 8 de novembro.

O Estado de São Paulo beira os 350.000 casos confirmados da Covid-19, além de mais de 17.100 mortes. Já a cidade de São Paulo conta com mais de 176.000 casos e 13.300 mortes – com outras 5.400 suspeitas. De acordo com a própria Prefeitura, por meio de um inquérito sorológico criado para monitorar casos, a estimativa é que quase 10% da população já contraiu o novo coronavírus.

Há uma semana, o chefe da Mercedes, Toto Wolff, colocou uma grande interrogação nos GPs do Brasil e dos EUA. “Parece que não iremos para lá”, disse.

Brasil e Estados Unidos são, atualmente, os grandes vetores de contágio do coronavírus no mundo.

Atualmente, o calendário da F1 conta com dez provas. O GP da Áustria abriu o campeonato na semana passada, enquanto o GP da Estíria, neste fim de semana, dá sequência às corridas, na mesma pista. Hungria, dois GPs na Inglaterra, Bélgica, Espanha e Itália [Monza], além de Toscana [Mugello] e Rússia.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube