Sem opções, Red Bull pode disputar temporada 2016 da F1 com motores sem marca fornecidos pela Renault, diz site

De acordo com a publicação norte-americana ‘Motorsport.com’, a Renault considera a possibilidade de fornecer motores sem marca para a Red Bull para garantir a presença do time de Daniel Ricciardo e Daniil Kvyat no grid da F1

A busca da Red Bull por um motor segue longe de uma solução. O time dos energéticos esperava por uma definição durante sua passagem pelos Estados Unidos, mas o Mundial se encaminha para o Brasil sem nada ainda definido.
 
O time dos energéticos tentou negociar com Mercedes e Ferrari, mas não conseguiu um acordo. Até mesmo a Honda se tornou uma opção, mas a McLaren lançou mão de seu poder de veto para inviabilizar a parceria.
Christian Horner destacou que a Red Bull está bastante atrasada no desenvolvimento do novo carro (Foto: AP)
Entretanto, de acordo com a publicação norte-americana ‘Motorsport.com’, a Renault pode fornecer motores sem marca para a equipe de Daniel Ricciardo e Daniil Kvyat para garantir a permanência do time na F1.
 
 Parceira de longa data da Renault, a Red Bull não suportou a falta de desempenho dos motores V6 turbo francês e atacou duramente a fornecedora. Ainda assim, o presidente da marca, Carlos Ghosn, considera a possibilidade de vender motores sem marca para permitir que o time siga no esporte.
 
De acordo com a publicação, ainda não está definido se as unidades de potência serão renomeadas ou se simplesmente não terão marca alguma. 
 
Questionado durante o fim de semana do GP do México se a Renault permanecia sendo uma opção, Christian Horner, chefe da Red Bull, respondeu: “Não há muitas opções, mas pode ter alguma coisa”.
 
Ainda de acordo com Horner, a Honda está interessada no acordo com a Red Bull, mas Ron Dennis está dificultando a negociação.
 
“A Honda está muito interessada, mas, infelizmente, eles têm um status contratual que está entre eles e a McLaren”, lamentou. “Não tem nada a ver com a gente. Cabe a eles decidirem o que eles querem fazer”, seguiu.
Renault considera alternativa para seguir empurrando carro da Red Bull (Foto: Red Bull)
Indagado se tinha conversado com a McLaren, Horner foi claro: “Não falei com ninguém da McLaren exceto Ron Dennis, que é o cara que tem a palavra lá. E a posição dele é bem clara”.
 
Por fim, Christian voltou a dizer que a Red Bull já estourou — e muito — o prazo para definir quem será seu parceiro de motor para o próximo ano.
 
“No momento, nós estamos bem no limite para estarmos no primeiro teste”, disse Horner. “O time em Milton Keynes demonstrou sua habilidade para trabalhar com prazos bastante apertados, e tenho certeza de que eles poderão atender qualquer que sejam as metas, desde que tenhamos uma decisão nas próximas semanas”, concluiu.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube