Título rende 400 mensagens. Mas a de Ron Dennis ‘realmente tocou’ Hamilton

Lewis Hamilton não escondeu o profundo respeito e gratidão que tem por Ron Dennis, seu ex-chefe na McLaren. O inglês revelou que recebeu uma mensagem tocante de Dennis após a conquista do hexacampeonato

Logo após cruzar a linha de chegada em Austin, há duas semanas, e se tornar hexacampeão de Fórmula 1, o celular de Lewis Hamilton não parou mais de apitar. Isso porque o segundo lugar no GP dos EUA foi o bastante para o inglês da Mercedes garantir o título e escrever mais um capítulo vitorioso de sua carreira na F1. Hamilton agora é o segundo piloto na história a conquistar a sexta taça do mundo. Só Michael Schumacher possui mais troféus que o britânico. Portanto, foi natural receber tantas mensagens de parabéns. Foram mais de 400, mas algumas foram mais tocantes. Uma em especial.
 
Ron Dennis escreveu a Hamilton depois da corrida no Texas. E disse que estava orgulhoso. O texto emocionou o campeão. Dennis e Lewis têm uma história de longa data no esporte. Foi o ex-chefão da McLaren que primeiro apostou no talento do britânico. Eles se conheceram quando Hamilton tinha apenas 10 anos idade. Foi por meio de Ron que o piloto com mais poles da história teve condições de chegar à F1.
 
“Realmente, eu recebi muitas, muitas mensagens e nem consegui responder a todas ainda. Acho que foram mais ou menos umas 400 mensagens desde o título. Mas ver a mensagem de Ron… Realmente me tocou”, disse Lewis aos jornalistas em Interlagos, nesta quinta-feira (14), em entrevista também acompanhada pelo GRANDE PRÊMIO.
Lewis Hamilton concedeu coletiva de imprensa em São Paulo (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
Em um misto de homenagem e agradecimento, Hamilton descreveu o que representou o ex-dirigente para a sua trajetória. “Quer dizer, eu o conheci quando tinha 10 anos de idade. Ele viu algo em mim que ninguém mais viu, exceto o meu pai. Ele me deu uma grande oportunidade de mostrar a minha habilidade, de aprender também e crescer.”
 
“Sem ele, talvez eu nem tivesse tido chance na F1. Ele nos ajudou nas categorias de base, financiando. Teria sido difícil contra outros que tinham mais dinheiro. Por isso, serei sempre grato a ele por isso. E sempre terei carinho por ele. Eu espero que ele também sinta algum orgulho de tudo isso”, completou.
 
Hamilton estreou na F1 em 2007 pelas mãos da McLaren sob o comando da Dennis. Foi campeão um ano depois. Mas decidiu deixar a equipe no fim de 2012 para se juntar à Mercedes, time com o qual vive o período mais vitorioso de sua carreira. 

O GRANDE PRÊMIO cobre in loco o GP do Brasil com os jornalistas Evelyn Guimarães, Felipe Noronha, Fernando Silva, Flavio Gomes, Gabriel Carvalho, Gabriel Curty e Pedro Henrique Marum, e o fotógrafo Rodrigo Berton. Acompanhe todo o noticiário aqui e tudo dos bastidores e das atividades em pista AO VIVO e em TEMPO REAL

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar