F1

Trust the Process: McLaren acerta ao ignorar Alonso e renovar com Sainz e Norris

A McLaren tentou acelerar o seu processo de reconstrução e se afundou ainda mais com Fernando Alonso. Porém, a aposta e a renovação de contrato da dupla formada por Carlos Sainz Jr. e Lando Norris é um importante passo para voltar ao topo da Fórmula 1

Grande Prêmio / GABRIEL CARVALHO, de Campinas
Na NBA, quando uma equipe forte começa a enfraquecer, é hora da popular reconstrução. Ou seja, nada de contratos caros e longos e nada de estrelas pressionando e buscando apressar o processo. É hora de entender o seu novo papel e se remontar com calma. Depois de um longo período, a McLaren finalmente teve calma e dá passos, ainda pequenos, para retomar os tempos gloriosos.
 
Com a entrada do novo regulamento e o fim da parceria com a Mercedes, a McLaren enfraqueceu. Assinou com uma Honda ainda crua e fez união com Fernando Alonso, um piloto exigente, que definitivamente não entendia o novo papel de mediocridade da equipe. Qual o resultado? Anos difíceis, com desempenhos abaixo do ideal, exigências que não poderiam ser correspondidas e uma relação queimada.
 
Do mesmo jeito que Alonso enterrou a Honda com a famosa mensagem “motor de GP2”, ele criou uma esperança nova com “agora podemos lutar”. Porém, o time não evoluiu tanto, estagnou e parecia perdido. Sem clima, o bicampeão abandonou a F1, mas a McLaren renasceu, aceitando a sua mediocridade e investindo em uma dupla com condições de reconstruir o time.
Carlos Sainz (Foto: McLaren)
Carlos Sainz Jr. e Lando Norris se encaixaram perfeitamente na esquadra de Woking, e a renovação para a temporada 2020 é um acerto gigantesco da equipe. É bem provável que pódios e vitórias não apareçam neste ano e no próximo, mas a visualização de um bom futuro é algo que era impensável até pouco tempo atrás.
 
Sainz vive fase mágica, a melhor de sua carreira. Longe dos holofotes da Red Bull, onde era sombra de Max Verstappen, e fora da Renault, onde não teve um grande entrosamento, finalmente desabrochou. Exibe todo o arrojo e talento, até tentando ficar um pouco além do verdadeiro potencial que o MCL34 realmente tem.
 
Norris tem um imenso potencial de estrela. Um piloto que correspondeu às expectativas colocadas no tempo do automobilismo de base. É muito rápido, ousado e maduro para a idade. O time acertou em cheio na promoção, e é praticamente impossível enxergar outro cenário futuro em que o inglês não seja um vencedor de corridas e brigue por títulos na Fórmula 1. Além disso, o garoto é bastante carismático, algo que pode ajudar bastante na sua popularidade na categoria.
 
“A performance de Carlos e Lando foi chave para o progresso do time. O feedback deles permitiu que nossos engenheiros desenvolvessem o MCL34 e olhassem para o MCL35. Carlos teve um importante papel desenvolvendo o carro com sua experiência, enquanto o Lando se encontrou com as demandas da F1, é incrivelmente rápido e cresce a cada fim de semana. Esta notícia é bem-vinda para toda a McLaren e estamos ansiosos por continuar a parceria", declarou Andreas Seidl, chefe de equipe, ao renovar os contratos.
 
A McLaren demorou para se entender, mas no fim, acabou conseguindo. Fechar a porta para Alonso, de um relacionamento praticamente abusivo com o time, e investir em dois pilotos novos, que não pressionam e não trazem holofotes demasiados, foi o primeiro grande passo para o retorno.


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.