Tutor na Williams, Wurz destaca evolução de Senna e lamenta que piloto entregue carro a Bottas

Em entrevista ao Grande Prêmio, Alexander Wurz admitiu ser duro com os inexperientes pilotos da Williams e disse que Pastor Maldonado é melhor que Bruno Senna, mas que a evolução do brasileiro é notável

Os pouco experientes pilotos da Williams lidam em seu cotidiano com os ensinamentos e as broncas de um duro professor. Pelo menos é assim que Alexander Wurz se define. Atuando como tutor na equipe inglesa, o austríaco, que defendeu o time em 2007, trabalha nos bastidores para otimizar a performance de Pastor Maldonado, Bruno Senna e Valtteri Bottas.

Em entrevista exclusiva ao Grande Prêmio, Wurz contou, de seu jeito pausado e pensado, detalhes da função que exerce desde o começo do ano e comentou a performance de seus “alunos”. A tarefa exercida pelo ex-piloto de F1 começou como um teste e, em sua própria avaliação, está dando resultados.

No último fim de semana, Wurz esteve em São Paulo para a disputa das 6 Horas de São Paulo (Foto: Felipe Tesser/Agência Warm Up)

Os conselhos de Wurz se estendem por algumas áreas: como lidar corretamente com os pneus – “Estamos fazendo isso muito bem com os dois pilotos [titulares]”, analisa –, o acerto do carro – “Não houve grandes dificuldades” – e as corridas – “Pastor é extremamente rápido, mas perdeu muitos pontos devido a incidentes”.

A respeito destes incidentes em que Maldonado se envolveu, Wurz faz uma diferenciação importante: “Alguns deles não me incomodam, pois todos os grandes pilotos, em algum momento de suas carreiras, têm de brigar para aprender os limites. Alguns deles foram demais, não foram erros. Pastor sabe disso, nós sabemos disso, mas eu o apoio 100%, pois ele é um piloto muito rápido e especial”.

Ao falar de Senna, Wurz destacou a evolução do brasileiro. Sua fala demonstrou satisfação. Para ele, “Bruno ainda é um pouco inexperiente. Neste ano, ele precisava entender como os pneus funcionam. Começou muito bem, teve algumas corridas em que não conseguiu acertar a mão ou teve um pouco de azar, mas agora voltou a coletar pontos com frequência”. O austríaco enfatizou que Senna “está progredindo bastante corrida após corrida”.

Apesar de Senna ter obtido resultados seu melhores resultados nas corridas e não nas classificações, Wurz não crê que a diferença entre seu desempenho aos sábados e aos domingos seja grande. Isso porque ir ao Q3, "às vezes, é questão de poucos centésimos”.

“Depende muito de como você coloca os pneus na temperatura ideal. Nisso, é preciso dizer que Pastor é um dos melhores. A diferença entre Pastor e Bruno é grande, mas é possível ver uma melhora clara no desempenho de Bruno. Ele está cada vez melhor”, julgou.

Ao longo do ano, o próprio piloto admitiu, em diversas ocasiões, que deixou de forçar na hora de passar do Q2 para o Q3. Nas 13 provas, Senna conseguiu largar entre os dez primeiros apenas em uma ocasião, no GP da Hungria, quando largou em nono.

Questionado pelo GP se enxerga em Bottas o futuro da Williams, Wurz elogiou o garoto finlandês, mas acabou desviando o assunto para novamente falar de Senna. “Não sei se ele [Bottas] é o futuro, mas ele já é parte da equipe. Não é fácil para Bruno ter apenas uma sessão de treinos às sextas, mas a equipe fechou este contrato com Valtteri e eu acho que ele está fazendo um bom trabalho”, avaliou. Wurz ainda revelou que Bottas é bastante detalhista no trato com o carro.

A Williams é a oitava colocada, apenas, no Mundial de Construtores. Maldonado tem 29 pontos, sendo que 25 foram conquistados no GP da Espanha. Desde então, o venezuelano não terminou nenhuma prova entre os dez primeiros colocados. Senna, por sua vez, pontuou em sete das 13 provas disputadas, totalizando 24 tentos.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube