Bottas admite que “foi duro aceitar” ser escudeiro de Hamilton: “Mentalmente difícil”

Valtteri Bottas desabafou, admitiu que foi difícil acatar as primeiras ordens de equipe para cumprir o papel de fiel escudeiro de Lewis Hamilton e lembrou o GP da Rússia de 2018

PRIMEIRA VITÓRIA E MAIOR CONSISTÊNCIA: OCON ESTÁ DE VOLTA?

Valtteri Bottas passou cinco longos anos na Mercedes, com o papel de ser o fiel escudeiro de Lewis Hamilton. Só que o finlandês explica que nem sempre foi fácil acatar sua tarefa na Mercedes. Embora enfatize que “sempre foi tratado bem”, ele revela que as ordens da equipe para dar espaço ao agora heptacampeão mundial, eram coisas que o machucavam.

Uma das cenas mais memoráveis é no GP da Rússia de 2018, pista onde o dono do carro #77 sempre andou bem. Na ocasião, Bottas liderava a corrida, mas foi obrigado a deixar seu companheiro de equipe passar. Em entrevista ao site GPFans, ele explica como foi difícil acatar a ordem da Mercedes e o quanto aquilo mexeu com seu pscicológico.

“Houve casos muito claros em que estive num papel de suporte e eu diria que, a primeira vez que isso aconteceu, provavelmente em 2018, foi muito difícil de aceitar. Muito difícil”, disse Bottas. “Aquilo não foi bom para mim mentalmente. Mas conforme o tempo passa, você aceita, se for essa a situação, em que você está perdendo pontos”, acrescentou.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Valtteri Bottas desabafou sobre alguns momentos difíceis na Mercedes (Foto: Mercedes)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Sua relação com a equipe, no entanto, sempre foi positiva. Ele diz que, principalmente no início e meio de temporada, quando a situação do campeonato é mais aberta, o tratamento era justo. E o piloto também diz entender quando as coisas ficavam mais quentes, o porquê da mudança de temperamento.

“Sempre no início da temporada até a metade, com certeza, o tratamento era de forma bastante justa. Se havia uma diferença de pontos, então naturalmente as pessoas e a equipe começavam a escolher qual piloto disputaria o campeonato. E acho que, inconscientemente, o comportamento de algumas pessoas e a tomada de decisões pode mudar ao longo da temporada”, completou.

Agora, Bottas tem a chance de liderar uma equipe. Isso porque, em 2022, o finlandês vai tentar o desafio de desenvolver e ser o piloto #1 da Alfa Romeo, ao lado de Guanyu Zhou, que chega à F1 nesta temporada. Por isso, o finlandês se mostra ansioso para o que está à sua frente neste ano.

“É uma das grandes razões do porquê fiz essa mudança e acho que vou gostar. Estou definitivamente pronto para assumir essa grande responsabilidade. Vai ser uma loucura pensar que é a minha décima temporada na Fórmula 1, então tenho certeza que posso colocar em bom uso tudo que aprendi com a MercedesWilliams ao longo dos anos”, concluiu.

RICCIARDO É PROBLEMA PARA MCLAREN OU 2021 FOI SÓ UM TROPEÇO?
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar