F1

Verstappen triunfa e alcança primeira pole da carreira na F1 na Hungria

Foi uma classificação apertada e sofrida para os pilotos de ponta. Não dava para prever exatamente qual equipe sairia em vantagem. Foi aí que o braço resolveu: Max Verstappen tirou um coelho da cartola e foi pole pela primeira vez na F1

Grande Prêmio / VITOR FAZIO, de Porto Alegre
Foi uma classificação das mais equilibradas dos últimos tempos na Fórmula 1. A categoria, que tanto viu a Mercedes reinar no primeiro semestre, viu Ferrari e Red Bull ganharem força ao mesmo tempo na Hungria. Era hora de ou a Mercedes confirmar quem manda, ou uma das outras duas tirar um coelho da cartola. Deu a segunda: com Max Verstappen, a Red Bull carimbou uma rara pole neste sábado (3). Foi um momento especial: trata-se da primeira pole do holandês na Fórmula 1, encerrando longa espera na principal categoria do automobilismo.

Valtteri Bottas assegurou a primeira fila, conseguindo vitória pessoal sobre Lewis Hamilton, terceiro. Foi um resultado inesperado do finlandês, que só deu três voltas em pista seca na sexta-feira inteira. Mesmo no contrapé, Valtteri foi apenas 0s018 mais lento que Verstappen e ainda colocou 0s179 de vantagem sobre Hamilton.
 
A dupla da Ferrari ficou devendo em voltas rápidas, com Charles Leclerc e Sebastian Vettel entrando em briga particular. O monegasco conseguiu o quarto lugar, superando o companheiro de equipe pelo quinto fim de semana seguido.
 
PRANCHETA GP: assista à nova área técnica do GRANDE PRÊMIO

Curiosamente, Leclerc foi o responsável pelo único incidente da tarde. Charles rodou sozinho na última curva durante o Q1, batendo de traseira na barreira de pneus. Foi uma batida relativamente forte, mas o trabalho ágil da Ferrari bastou para devolver Charles à pista já no começo do Q2. O carro se comportou normalmente, permitindo o resultado positivo contra Vettel.

O top-10 ainda teve Lando Norris, Carlos Sainz Jr., Romain Grosjean e Kimi Räikkönen. A Renault, mesmo com bom retrospecto em circuitos travados, não conseguiu ir ao Q3, perdendo inclusive Daniel Ricciardo no Q1.

A Fórmula 1 retorna neste fim de semana, em Hungaroring, para o GP da Hungria, o 12º da temporada e último da primeira parte do campeonato. O GRANDE PRÊMIO acompanha tudo AO VIVO E EM TEMPO REAL.

Saiba como foi o treino classificatório do GP da Hungria de F1

Q1 - O erro de Leclerc e o quase-milagre de Russell

A classificação começou com nuvens menos carregadas no céu e o sol dando as caras. Foi nessas condições que a Williams começou relativamente bem, com George Russell sendo 0s5 mais rápido do que Lance Stroll.
 
Claro, era alegria passageira, até mesmo para as equipes mais capacitadas do que a Williams. Kimi Räikkönen era o primeiro quando a Ferrari mandou dois carros para a pista, conseguindo a liderança com Charles Leclerc. O tempo de 1min16s337 já estava próximo dos vistos no TL3, indicando que era competitivo para padrões do Q1. Outra prova disso veio pouco depois, com Valtteri Bottas e Lewis Hamilton ficando respectivamente 0s1 e 0s2 atrás.
Charles Leclerc bateu no Q1 na Hungria (Foto: Twitter/F1)
Restava só um teste ao tempo de Leclerc, e esse se provou fatal. Max Verstappen conseguiu um excelente 1min15s817, assumindo a liderança com 0s520.
 
E aí o próprio Leclerc se sabotou. O monegasco rodou sozinho na saída da última curva, batendo de traseira na barreira de proteção. Deu para voltar por conta própria aos boxes, mas não estava claro se Charles teria condições de voltar à pista no Q2.
 
Com quatro minutos restando no cronômetro, a briga na parte de trás do pelotão esquentava. Para começo de conversa, Russell estava em 14º, duas posições acima da linha de corte, situação inédita para a Williams em 2019. Isso deixava Albon, Kvyat, Giovinazzi, Stroll e Kubica na zona de eliminação.

O campeão da F2 voltou a melhorar na segunda tentativa, subindo para nono momentaneamente. Só que todo mundo também conseguiu encontrar tempo. Russell acabou eliminado, mas em 16º, melhor posição de largada do ano com sobras. Pérez e Ricciardo, sofrendo com tráfego, também caíram. Stroll e Kubica ficaram na última fila.
Valtteri Bottas fecha a primeira fila (Foto: Mercedes)
Q2 - A queda da Renault

O Q2 começou com Hamilton e Bottas indo à pista de imediato. Enquanto isso, a Ferrari ainda trabalhava na traseira de Leclerc. Ao contrário do que se imaginava, o monegasco foi liberado instantes depois, junto com Vettel.
 
O primeiro ciclo de voltas colocou Hamilton em primeiro, anotando 1min15s548 com pneus médios. Verstappen e Bottas ficaram próximos, também com pneus amarelos, enquanto a dupla da Ferrari ficava um pouco mais atrás. Mesmo assim, as distâncias eram pequenas demais para dizer que Lewis era alguma espécie de favorito.
 
No pelotão médio, Norris surgia apenas 0s2 atrás de Vettel, em sexto. Gasly, Grosjean, Hülkenberg e Sainz eram os outros pilotos na zona de classificação para o Q3. Dessa forma, Albon, Kvyat, Giovinazzi, Magnussen e Räikkönen ficavam na zona de eliminação. Restava apenas uma tentativa para cada.
 
Só Räikkönen aproveitou a tentativa, saltando de 15º para décimo. Isso puniu Hülkenberg, que caiu para 11º e ficou fora. A Renault, assim, ficava fora do Q3 novamente.
Lewis Hamilton larga em terceiro (Foto: Mercedes)
Q3 - A consagração de Verstappen

O Q3 começou em ritmo de surpresa. A dupla da Mercedes voltou a abrir os trabalhos, mas dessa vez com papéis invertidos. Bottas superou Hamilton por 0s010, levando a pole provisória. Só que os prateados não estavam mais em condição de reinar absolutos: Verstappen achou um ótimo 1min14s958, sendo o primeiro abaixo de 1min15s. Bastava para ser 0s178 melhor do que Bottas. Hamilton, Vettel e Leclerc eram os outros pilotos do top-5.
 
Assim, o segundo ciclo de voltas virava ‘todos contra Verstappen’. Só que seria muito, muito difícil cortar a vantagem do holandês de uma hora para outra.
 
No fim das contas, pouco mudou no último ciclo de voltas. Verstappen, Bottas e Hamilton melhoraram seus próprios tempos, mas mantendo a mesma ordem. A única mudança com Leclerc subindo para quarto, com vitória pessoal sobre Vettel mesmo depois de bater no Q1.

F1, GP da Hungria, Hungaroring, Grid de Largada:

1 M VERSTAPPEN Red Bull Honda   1:14.572  
2 V BOTTAS Mercedes   1:14.590 +0.018
3 L HAMILTON Mercedes   1:14.769 +0.197
4 C LECLERC Ferrari   1:15.043 +0.471
5 S VETTEL Ferrari   1:15.071 +0.499
6 P GASLY Red Bull Honda   1:15.450 +0.878
7 L NORRIS McLaren Renault   1:15.800 +1.228
8 C SAINZ JR McLaren Renault   1:15.852 +1.280
9 R GROSJEAN Haas Ferrari   1:16.013 +1.441
10 K RÄIKKÖNEN Alfa Romeo Ferrari   1:16.041 +1.469
11 N HÜLKENBERG Renault   1:16.565 +1.993
12 A ALBON Toro Rosso Honda   1:16.687 +2.115
13 D KVYAT Toro Rosso Honda   1:16.692 +2.120
14 K MAGNUSSEN Haas Ferrari   1:17.081 +2.509
15 G RUSSELL Williams Mercedes   1:17.031 +2.459
16 S PÉREZ Racing Point Mercedes   1:17.109 +2.537
17 A GIOVINAZZI Alfa Romeo Ferrari P +3 1:16.804 +2.232
18 D RICCIARDO Renault   1:17.257 +2.685
19 L STROLL Racing Point Mercedes   1:17.542 +2.970
20 R KUBICA Williams Mercedes   1:18.324 +3.752
    Tempo 107%   1:19.792 +5.220
           
REC M VERSTAPPEN Red Bull Honda   1:14.572 03/08/2019
MV M SCHUMACHER Ferrari   1:19.081 15/08/2004

Paddockast #27
Schumacher e Vettel: UNIDOS POR UM RECORDE


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.